MORFOMETRIA TESTICULAR DE BOVINOS MESTIÇOS JOVENS SUBMETIDOS A DIFERENTES ESTRATÉGIAS DE SUPLEMENTAÇÃO ENERGÉTICA DE PASTAGEM DE Brachiaria Brizantha

Autores

  • Pedro Leonardo de Paula Rezende Universidade Federal de Goiás
  • João Restle Universidade Federal de Goiás
  • João Teodoro Pádua Universidade Federal de Goiás
  • Juliano José de Resende Fernandes Universidade Federal de Goiás
  • Marcondes Dias de Freitas Neto Universidade Federal de Goiás
  • Bruno Duarte Alves Fortes Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v11i4.7642

Palavras-chave:

Desempenho, perímetro escrotal, perímetro testicular, testosterona.

Resumo

Objetivou-se com este trabalho correlacionar as medidas testiculares e o ganho em peso, bem como as possíveis influências do nível alimentar sobre a morfometria dos testículos de 32 bovinos mestiços Holandês/Zebu, em fase de desenvolvimento sexual, mantidos em pastagem de Brachiaria brizantha submetida a dois níveis de suplementação energética, médio e alto, correspondendo ao fornecimento de suplemento em quantidade equivalente a 0,5% e 1,0% do PV (TM e TA), respectivamente, durante a segunda metade do período de chuvas. Avaliaram-se o crescimento do perímetro escrotal in vivo e as medidas finais da porção glandular dos testículos em função do perímetro, comprimento, largura, volume, peso e forma. Os coeficientes de correlação entre as medidas testiculares e o ganho em peso foram moderadamente positivos, variando entre 0,12 e 0,32. A análise de frequência demonstrou que prevaleceram os testículos de formato longo em ambos os tratamentos, respectivamente com 65% e 54% para TM e Ta. Observou-se efeito significativo (p<0,05) do sistema alimentar sobre o ganho em perímetro escrotal in vivo em favor do grupo de alto nível de suplementação (TA), que ganhou 5,93 cm versus 3,71 cm do grupo TM. Não foi observado efeito significativo (P>0,05) do nível alimentar sobre as medidas glandulares dos testículos. Concluiu-se que estas características são determinadas pelo estádio de desenvolvimento sexual e não pelo nível alimentar e que as medidas testiculares não devem ser utilizadas isoladamente como critério de estimativa do desempenho de mestiços jovens.

PALAVRAS-CHAVES: Desempenho, perímetro escrotal, perímetro testicular, testosterona.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Leonardo de Paula Rezende, Universidade Federal de Goiás

Pós graduação em Ciência Animal, Escola de veterinária, Universidade Federal de Goiás.

João Restle, Universidade Federal de Goiás

Professor Pós-Doutor, Escola de veterinária, Universidade Federal de Goiás.

João Teodoro Pádua, Universidade Federal de Goiás

Professor Doutor, Escola de veterinária, Universidade Federal de Goiás.

Juliano José de Resende Fernandes, Universidade Federal de Goiás

Professor Doutor, Escola de veterinária, Universidade Federal de Goiás.

Marcondes Dias de Freitas Neto, Universidade Federal de Goiás

Pós graduação em Ciência Animal, Escola de veterinária, Universidade Federal de Goiás.

Bruno Duarte Alves Fortes, Universidade Federal de Goiás

Pós graduação em Ciência Animal, Escola de veterinária, Universidade Federal de Goiás.

Downloads

Publicado

2010-12-21

Como Citar

REZENDE, P. L. de P.; RESTLE, J.; PÁDUA, J. T.; FERNANDES, J. J. de R.; NETO, M. D. de F.; FORTES, B. D. A. MORFOMETRIA TESTICULAR DE BOVINOS MESTIÇOS JOVENS SUBMETIDOS A DIFERENTES ESTRATÉGIAS DE SUPLEMENTAÇÃO ENERGÉTICA DE PASTAGEM DE Brachiaria Brizantha. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 11, n. 4, p. 817–824, 2010. DOI: 10.5216/cab.v11i4.7642. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/7642. Acesso em: 4 mar. 2024.

Edição

Seção

Produção Animal