Perdas reprodutivas e reconcepção em fêmeas bovinas de corte submetidas a inseminação artificial em tempo fixo

Autores

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar as perdas gestacionais entre 30 e 120 dias de gestação e reconcepção em vacas de corte submetidas à inseminação artificial em tempo fixo (IATF). Foram analisadas 18.462 informações do arquivo zootécnico de animais submetidos a IATF no período da estação de monta de novembro de 2019 a abril de 2020 na região do semiárido de Minas Gerais. Os parâmetros avaliados foram perda gestacional, categoria animal, presença do bezerro ao pé da vaca, escore de condição corporal (ECC) e situação final da estação de monta das fêmeas que perderam gestação após a IATF, os dados foram analisados pelo teste qui-quadrado de Person (χ²) e teste de Kruskal-Wallis, com nível de significância de 5% com uso do programa SPSS. A taxa de prenhez final foi de 58,52%. A taxa de perdas entre o primeiro e segundo diagnóstico gestacional foi de 3,6%. Observou-se dependência entre as variáveis categoria e perda gestacional (χ²= 12,374, p< 0,05). A presença do bezerro ou não ao pé da vaca, não teve influência em relação a perda gestacional (p>0,05). A diferença do ECC entre as categorias foi significativa (p<0,05). A situação final foi influenciada (p<0,05) pela categoria animal. A ordem de parição e o escore de condição corporal influenciam significativamente a taxa de perda gestacional.
Palavras-chaves: Bovinocultura; Desempenho reprodutivo; Perdas gestacionais

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-03-16

Como Citar

NUNES DE LIMA, A. C. .; NEGRÃO PEREIRA, E. T. .; DE CASTRO ALMEIDA, I. .; DIAS XAVIER , E. .; FERNANDES OLIVEIRA, D. C.; DE ALMEIDA, A. C. . Perdas reprodutivas e reconcepção em fêmeas bovinas de corte submetidas a inseminação artificial em tempo fixo. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 23, n. 1, 2022. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/70384. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

MEDICINA VETERINÁRIA