Tratamentos de superação de dormência e tipos de solo na emergência e desenvolvimento inicial de Chamaecrista rotundifolia

Autores

Resumo

Chamaecrista rotundifolia é uma leguminosa com alto valor nutritivo e boa produção para a pecuária, no entanto apresenta elevada dormência em suas sementes. O objetivo foi avaliar métodos de superação de dormência e a influência da textura do solo na emergência das plântulas e desempenho inicial. O experimento foi realizado em casa de vegetação em delineamento com parcelas subdivididas e cinco repetições. Os tratamentos consistiram em técnicas de superação de dormência com a imersão das sementes em (1) água quente a 80°C por 30 s seguida pela imersão em água a temperatura ambiente por 12 h; (2) imersão em água a temperatura ambiente (25 °C) por 24 h e (3) imersão em ácido clorídrico (0,05 mol L-1) por 15 min, e um grupo controle (sem intervenção nas sementes), dispostos nas parcelas em blocos casualizados. As sementes foram cultivadas em dois solos como subparcelas. Foi avaliada a emergência diária das mudas para calcular o percentual e o índice de velocidade de emergência. Aos 21 dias após a semeadura, o desempenho da planta foi avaliado por meio de medidas e massa dos componentes. O tratamento com água quente apresenta maior eficiência em promover a emergência de plântulas (p < 0,01) e no índice de velocidade de emergência (p<0,05). O total de massa seca se destacou em solo arenoso (p < 0,05). A textura do solo influencia os tratamentos de superação de dormência nos parâmetros de desempenho inicial das plantas, sendo observado melhor desempenho em solo arenoso.
Palavras-chave: germinação; leguminosa; arenoso, semente; textura de solo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2021-03-12

Como Citar

DO NASCIMENTO GOMES , J. .; LIMA ABREU, N.; LUCÉLIA DA SILVA NASCIMENTO , A. .; MUNIZ ROCHA , S.; RODRIGUES DE QUADROS , B. .; DE ABREU FARIA, L. . Tratamentos de superação de dormência e tipos de solo na emergência e desenvolvimento inicial de Chamaecrista rotundifolia. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 22, n. 1, 2021. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/66677. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

ZOOTECNIA