FREQUÊNCIA DE ANTICORPOS ANTI-Toxoplasma gondii EM REBANHOS CAPRINOS DO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS, MA

Autores

  • Júlia Gleyci Soares Universidade Estadual do Maranhão - UEMA
  • Maria Inez Santos Silva UEMA
  • Vivian Magalhães Brandão UEMA

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v11i3.5945

Palavras-chave:

Sanidade Animal

Resumo

O trabalho objetivou estimar a frequência de rebanhos caprinos soropositivos ao Toxoplasma gondii no município de São Luís, Maranhão, Brasil, através do método ELISA indireto (Enzime Linked Immunosorbent Assay). Utilizaram-se o programa Epi Info 3.5.1 e os Testes Qui-quadrado e Exato de Fisher, para análise dos dados. Verificou-se que, dos 92 soros analisados, 34 (36,95%) eram soropositivos e 58 (63,05%) soronegativos. Em relação às propriedades de rebanhos caprinos pesquisadas, verificou-se soropositividade em oito (80%) das dez utilizadas no estudo. Das propriedades com condições de estocagem de alimento, 24 propriedades foram consideradas ruins e quatorze (15,3%) foram soropositivas para T. gondii, verificando-se associação significativa (p < 0,05). A exploração leiteira apresentou associação significativa (p = 0,0478). A de corte mostrou percentual significativo: do total de dezenove animais, onze (57,89%) foram soropositivos. Em relação ao tipo de alimento, verificou-se (14) 58,33% de soropositividade para os animais submetidos à alimentação com forragem (p < 0,05), considerando que o fornecimento apenas de forragem como fonte de alimentação oferece risco, por ser uma fonte de infecção por T. gondii. No que se refere ao destino do material abortado, que é fator relevante, constatou-se que nenhum dos produtores realiza o destino adequado para esse material, o que muitas vezes não elimina a presença do fator de risco, verificando-se soropositividade e associação significativa (p < 0,05). Não se verificaram neste estudo diferenças significativas na frequência do T. gondii, com relação ao sexo e faixa etária dos caprinos.

PALAVRAS-CHAVES: Caprinos, frequência, São Luís, MA, Toxoplasma gondii.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlia Gleyci Soares, Universidade Estadual do Maranhão - UEMA

Acadêmica do Curso de Medicina Veterinária da Universidade Estadual do Maranhão, Cidade Universitária Paulo VI – Tirirical, CEP: 65.055-970, São Luís -  MA. Brasil.

Maria Inez Santos Silva, UEMA

Mestranda da Universidade Estadual do Maranhão.

Vivian Magalhães Brandão, UEMA

Orientadora e Professora de Epidemiologia da Universidade Estadual do Maranhão.

Downloads

Publicado

2010-10-02

Como Citar

SOARES, J. G.; SILVA, M. I. S.; BRANDÃO, V. M. FREQUÊNCIA DE ANTICORPOS ANTI-Toxoplasma gondii EM REBANHOS CAPRINOS DO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS, MA. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 11, n. 3, p. 660–668, 2010. DOI: 10.5216/cab.v11i3.5945. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/5945. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária