TROMBOCITOSE: UM ESTUDO RETROSPECTIVO EM 573 CÃES (2016-2017)

Resumo

A trombocitose é o aumento do número de plaquetas por microlitro (μL) de sangue e contagens maiores que 1.000.000/μL podem estar associadas a sinais clínicos de sangramento ou trombose. Estudos anteriores sobre as causas subjacentes da trombocitose tem despertado o interesse quanto a sua importância clínica em cães. O presente estudo teve como objetivo analisar hemogramas de cães, com a finalidade de definir as principais doenças ou condições clínicas associadas à trombocitose dentro do período de dois anos, determinar a incidência e ainda categorizar as contagens de acordo com a severidade do aumento de plaquetas. De 12.676 hemogramas analisados, observou-se incidência de trombocitose de 4,5% (n=573). As contagens médias de plaquetas em todas as categorias de diagnósticos ou condições clínica (neoplasias, doenças gastrointestinais, endócrinas, oftalmológicas, traumas e cirurgias, dermatológicas, cardíacas, neurológicas, infecciosas, respiratórias, geniturinárias, idiopáticas, múltiplas e gestação) foram semelhantes, não havendo diferença significativa entre elas (P≥0,05). Os distúrbios mais comumente associados à trombocitose foram as doenças gastrointestinais seguidas de neoplasias. Além disso, os aumentos na contagem de plaquetas foram observados em cães tratados com glicocorticoides e vincristina. Quanto ao grau de severidade, a trombocitose extrema ocorreu mais frequentemente nas doenças gastrointestinais.
Palavras-chaves: doença gastrointestinal; neoplasia; plaquetas; trombose

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcela Natacha Aparecida Rocha, Universidade Federal de Mato Grosso

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Mato Grosso (2015) e atualmente é residente na área de patologia clínica veterinária do Hospital Veterinario da UFMT campus de Cuiabá - MT.

Publicado
28-06-2019
Como Citar
Rocha, M., Rocha, M., Kavasaki, M., Rodrigues, J., Souza, W., & Mendonça, A. (2019). TROMBOCITOSE: UM ESTUDO RETROSPECTIVO EM 573 CÃES (2016-2017). Ciência Animal Brasileira, 20(1), 1-10. Recuperado de https://revistas.ufg.br/vet/article/view/51837
Seção
MEDICINA VETERINÁRIA