EFEITO DO PREBIÓTICO E DO ÁCIDO BUTÍRICO IN OVO SOBRE O DESEMPENHO, DIGESTIBILDADE DOS NUTRIENTES DA RAÇÃO E BIOMETRIA DO TRATO GASTRINTESTINAL DE PINTOS SUBMETIDOS AO JEJUM

Autores

  • Nadja Susana Mogyca Leandro Professores do Departamento de Produção Animal, Escola de Veterinária -UFG
  • Adson Santa Cruz de Oliveira em Ciência Animal – Escola de Veterinária -UFG
  • Marcos Barcelos Café Professores do Departamento de Produção Animal, Escola de Veterinária -UFG
  • Elisabeth Gonzales Pesquisadora do CNPq
  • José Henrique Stringhini Professores do Departamento de Produção Animal, Escola de Veterinária -UFG
  • Maria Auxiliadora Andrade Professora do Departamento de Medicina Veterinária, Escola de Veterinária -UFG

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v11i4.5088

Palavras-chave:

acido orgânico, digestibilidade, desempenho, pinto de corte, MOS, ovo

Resumo

Desenvolveram-se dois experimentos para avaliar o desempenho, a digestibilidade de nutrientes da ração e a biometria de órgãos do trato gastrintestinal de pintos, oriundos de ovos inoculados com prebiótico ou ácido orgânico, submetidos a jejum hídrico e alimentar. Os ovos férteis foram inoculados com uma solução contendo prebiótico (experimento I) ou água (grupo placebo), no saco alantoide aos dezesseis dias de incubação. No experimento II, os ovos embrionados foram inoculados com água (placebo) ou ácido orgânico (butirato de sódio). Depois da eclosão, selecionaram-se duzentos pintos pelo peso, sendo distribuídos de acordo com os tratamentos em baterias. O delineamento foi em blocos casualizados, em esquema fatorial 2x2 (inóculos x períodos de jejum), totalizando quatro tratamentos e dez repetições. Os períodos de jejum estudados foram de oito (grupo-controle) e 36 horas após a eclosão. O prebiótico inoculado reduziu o ganho de peso (P<0,05) e não afetou a digestibilidade e a biometria dos órgãos. A inoculação in ovo não prejudicou o peso inicial dos pintos e não houve interação entre o inóculo e o período de jejum. A inoculação com ácido orgânico não afetou o desempenho das aves e a digestibilidade dos nutrientes, mas aumentou a biometria intestinal (P<0,05). A suplementação de prebiótico ou butirato de sódio não melhorou o desempenho dos pintos até os dez dias de idade, tampouco a digestibilidade dos nutrientes da ração, independentemente se submetidos ou não ao jejum inicial. Porém, o butirato de sódio favoreceu o desenvolvimento intestinal.

PALAVRAS-CHAVES: Ácido orgânico, digestibilidade de nutrientes, ovos, pinto de corte, manano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2010-12-21

Como Citar

LEANDRO, N. S. M.; OLIVEIRA, A. S. C. de; CAFÉ, M. B.; GONZALES, E.; STRINGHINI, J. H.; ANDRADE, M. A. EFEITO DO PREBIÓTICO E DO ÁCIDO BUTÍRICO IN OVO SOBRE O DESEMPENHO, DIGESTIBILDADE DOS NUTRIENTES DA RAÇÃO E BIOMETRIA DO TRATO GASTRINTESTINAL DE PINTOS SUBMETIDOS AO JEJUM. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 11, n. 4, p. 806–816, 2010. DOI: 10.5216/cab.v11i4.5088. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/5088. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Produção Animal