EFEITO DE DIFERENTES DOSES DE CLOPROSTENOL SÓDICO NO PERÍODO PÓS-PARTO DE VACAS DE CORTE

Autores

  • Carlos A. de Carvalho Fernandes UNIFENAS
  • Bruno F. Ludgero Alves Biotran
  • Eduardo Ramos de Oliveira Biotran
  • João H. Moreira Viana Embrapa - Gado de Leite
  • Marilu Martins Gioso UNIFENAS
  • Yolanda C. de Souza Loyola UNIFENAS

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v13i3.4815

Palavras-chave:

Bovino, involução uterina, prostaglandinas, cloprostenol

Resumo

O restabelecimento da atividade reprodutiva pós-parto é dependente de dois processos fisiológicos, a involução uterina e o restabelecimento da atividade luteal cíclica. Problemas ou atrasos na involução uterina podem afetar diretamente a atividade ovariana pós-parto. As prostaglandinas F2a (PGF2a) exercem uma importante função no processo de involução uterina. Entretanto, a utilização dos análogos sintéticos da PGF2a para estimular involução uterina em bovinos tem sido pequena. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito de duas doses de uma mistura racêmica de cloprostenol (D+L-Cloprostenol), aplicadas no pós-parto imediato, sobre o desempenho reprodutivo de vacas mestiças de corte. Vacas de corte com parto normal foram divididas aleatoriamente em três grupos: G1(n=144), grupo controle; G2 (n=145), 0.530mg de D+L-Cloprostenol, aplicados IM de três a cinco dias após o parto, e G3 (n=145), 1.060 mg de D+L-Cloprostenol, no mesmo protocolo de G2. Foram analisados os serviços por concepção (c2), dias do parto à primeira inseminação e período de serviço. Não foram observadas diferenças no número de serviços por concepção nos três grupos (P>0.05). A média de dias do parto à primeira inseminação foi de 88,77 + 23,64ª; 77,59 + 26,95b e 76,22 + 26,28b, e o intervalo parto-concepção foi de 97.34±26.54ª; 86,38 + 28,81b; 85,23 + 30,12b, para os grupos 1, 2 e 3, respectivamente (P<0.05). O tratamento, independente da dose de cloprostenol, antecipou o reinicio da atividade reprodutiva em mais de 10 dias. A aplicação de cloprostenol sódico no pós-parto pode melhorar a eficiência reprodutiva de vacas de corte. Não existem diferenças entre as duas doses comparadas.

PALAVRAS-CHAVE: bovino; involução uterina; prostaglandinas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos A. de Carvalho Fernandes, UNIFENAS

Setor de Reprodução Animal - Faculdade de Medicina Veterinária

João H. Moreira Viana, Embrapa - Gado de Leite

Reprodução Animal

Marilu Martins Gioso, UNIFENAS

Setor de Reprodução Animal

Publicado

2012-09-28

Como Citar

FERNANDES, C. A. de C.; ALVES, B. F. L.; OLIVEIRA, E. R. de; VIANA, J. H. M.; GIOSO, M. M.; LOYOLA, Y. C. de S. EFEITO DE DIFERENTES DOSES DE CLOPROSTENOL SÓDICO NO PERÍODO PÓS-PARTO DE VACAS DE CORTE. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 13, n. 3, p. 346–352, 2012. DOI: 10.5216/cab.v13i3.4815. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/4815. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária