EFICIÊNCIA DO USO DA RADIAÇÃO SOLAR E PROTEÍNA BRUTA DO SORGO FORRAGEIRO SÃO MODIFICADAS PELO MANEJO DE CORTES

Resumo

O objetivo deste trabalho foi determinar o crescimento, a eficiência do uso da radiação solar e a proteína bruta do sorgo forrageiro submetido a diferentes manejos de cortes. Foi utilizado um esquema unifatorial em delineamento de blocos casualizados (manejo de cortes), que variou do tratamento sem corte até quatro cortes. O primeiro corte ocorreu 44 dias após a semeadura, o segundo 23 dias após o rebrote, o terceiro 25 dias após o rebrote e o último após 40 dias do rebrote. A eficiência do uso da radiação solar do sorgo forrageiro reduziu com o aumento do número de cortes. A proteína bruta das plantas de sorgo aumentou com o manejo de cortes. Portanto, para a cultura do sorgo forrageiro, recomenda-se restringir o manejo de cortes para até três vezes durante o ciclo, desde que exista potencial produtivo de biomassa, e esses cortes devem ocorrer a cada 25 dias, dependendo do acréscimo de matéria seca. Não se recomenda a realização de mais do que três cortes, devido à baixa eficiência na utilização da radiação solar, à reduzida acumulação de matéria seca e à baixa qualidade desse material.
Palavras-chave: foragem; pastagem; afilhamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julia Renata Schneider, Universidade de Passo Fundo

Engenheira Agrônoma, graduada pela Universidade Federal de Santa Maria. Mestranda pela Universidade de Passo Fundo.

Publicado
09-04-2019
Como Citar
Schneider, J., Caron, B., Elli, E., Schwerz, F., & Engroff, T. (2019). EFICIÊNCIA DO USO DA RADIAÇÃO SOLAR E PROTEÍNA BRUTA DO SORGO FORRAGEIRO SÃO MODIFICADAS PELO MANEJO DE CORTES. Ciência Animal Brasileira, 20(1), 1-13. Recuperado de https://revistas.ufg.br/vet/article/view/46662
Seção
ZOOTECNIA