SÊMEN DE PACU (Piaractus mesopotamicus) CRIOPRESERVADO COM DILUENTES UTILIZADOS PARA SÊMEN DE SUÍNOS

Autores

  • Danilo Pedro Streit Jr.,
  • Celso Benites
  • Gentil Vanini de Moraes
  • Ricardo Pereira Ribeiro
  • Eduardo Shigueiro Sakaguti
  • Rivail Ferreira Caldieri

Resumo

Sêmen de Piaractus mesopotamicus foi conservado no diluente regularmente utilizado para peixes, constituído de 20 % de gema de ovo + 5 % glicose, com 10 % dedimetil sulfóxido (DMSO) (controle) e quatro soluções utilizadas em diluição de sêmen de suínos: Zorlesco modificado (ZOR), BTZOR (desenvolvido na Universidade Estadual de Maringá), Andro-Hepes e Beltsville Thawing Solution (BTS), todos acrescidos de 0,16g de KCl mais 10% de glicerol. A motilidade progressiva e o vigor espermático foram superiores no diluente gema de ovo+glicose(16% e 2,55 pontos, respectivamente) (P>0,05) aos diluidores ZOR, BTZOR, Andro-Hepes e BTS (0,25% e 0,34pontos, respectivamente), porém inferior (P<0,05) ao sêmen in natura, (75,00% e 3,40 pontos, respectivamente). A morfologia espermática não apresentou diferença entre os cinco diluentes, mas o percentual médio de espermatozóides normais e de patologias secundárias foi menor (P<0,05), após a descongelação, nos cincos diluentes crioprotetores em relação ao sêmen in natura. As patologias com maior incidência foram cauda dobrada e cabeça solta (patologias secundárias) e cauda enrolada e curta (patologias primárias).Os meios para sêmen de suíno testados neste experimento não se apresentaram eficientes na congelação do sêmen de P. mesopotamicus. PALAVRAS-CHAVE: Aquacultura, crioprotetor, diluidores, dimetil sulfóxido, glicerol.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-10-31

Como Citar

STREIT JR., D. P.; BENITES, C.; MORAES, G. V. de; RIBEIRO, R. P.; SAKAGUTI, E. S.; CALDIERI, R. F. SÊMEN DE PACU (Piaractus mesopotamicus) CRIOPRESERVADO COM DILUENTES UTILIZADOS PARA SÊMEN DE SUÍNOS. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 7, n. 3, p. 289–297, 2006. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/409. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Medicina Veterinária