DISTRIBUIÇÃO DE LARVAS DE NEMATÓDEOS GASTRINTESTINAIS DE OVINOS EM PASTAGENS DE INVERNO

Autores

  • Tatiana Louise Gazda Universidade Federal do Paraná
  • Ricardo Guimarães Piazzetta Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
  • João Ricardo Dittrich Universidade Federal do Paraná
  • Alda L. Gomes Monteiro Universidade Federal do Paraná
  • Vanete Thomaz Soccol Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v13i1.4025

Palavras-chave:

Nematódeos gastrintestinais, ovinos, pastagens, Trichostrongylidae.

Resumo

As infecções parasitárias são de ocorrência bastante preocupante nos sistemas de produção de ovinos em pastagens. Assim, este trabalho foi realizado com o objetivo de conhecer a dinâmica das larvas de nematódeos parasitos de ovinos em pastagens de inverno. O delineamento utilizado foi inteiramente casualizado. Os tratamentos foram compostos por duas diferentes ofertas de matéria seca de duas espécies forrageiras (aveia preta 5% e 12%; azevém 10% e 20%), totalizando quatro tratamentos. Os animais traçadores utilizados foram 28 borregas da raça Suffolk. A cada quinze dias foram coletadas amostras de pastagem dos piquetes, estratificadas em fração superior e inferior da pastagem para contagem e identificação de larvas de nematódeos. Os animais foram acompanhados quinzenalmente por meio de exames coproparasitológicos. Na pastagem de azevém, verificou-se maior contaminação por larvas de helmintos por grama de matéria seca (104,53 L/g MS) (p<0,05) do que na de aveia (24,6 L/g MS). Houve aumento linear com o tempo no número de larvas de helmintos por grama de matéria seca no estrato pastejado da pastagem de aveia em menor oferta de forragem. Os animais mantidos em diferentes ofertas de forragem de aveia e azevém não apresentaram diferença em relação à carga parasitária (p>0,05). Entretanto, observou-se aumento linear com o tempo no número de ovos de helmintos por grama de fezes dos animais em pastagem de aveia com menor oferta. Os resultados confirmaram que a alta carga animal por unidade de área contribuiu para a contaminação constante da pastagem e consequentemente para a infecção dos animais.

PALAVRAS-CHAVE: nematódeos gastrintestinais; ovinos; pastagens; Trichostrongylidae.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiana Louise Gazda, Universidade Federal do Paraná

Médica Veterinária graduada pela UFPR, Mestre em Ciências Veterinárias, Área de concentração Patologia Animal pela UFPR. tatiloui@gmail.com

Ricardo Guimarães Piazzetta, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Médico Veterinário graduado pela UFPR, Mestre em Ciências Veterinárias, Área de concentração Produção Animal pela UFPR.

João Ricardo Dittrich, Universidade Federal do Paraná

Professor Doutor do Departamento de Zootecnia da UFPR.

Alda L. Gomes Monteiro, Universidade Federal do Paraná

Professora Doutora do Departamento de Zootecnia da UFPR.

Vanete Thomaz Soccol, Universidade Federal do Paraná

Professora Doutora do Departamento de Patologia Básica da UFPR.

Downloads

Publicado

2012-03-29

Como Citar

GAZDA, T. L.; PIAZZETTA, R. G.; DITTRICH, J. R.; MONTEIRO, A. L. G.; SOCCOL, V. T. DISTRIBUIÇÃO DE LARVAS DE NEMATÓDEOS GASTRINTESTINAIS DE OVINOS EM PASTAGENS DE INVERNO. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 13, n. 1, p. 85–92, 2012. DOI: 10.5216/cab.v13i1.4025. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/4025. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária