CRESCIMENTO ALOMÉTRICO DE SUÍNOS BRASILEIROS NATURALIZADOS

Resumo

O crescimento alométrico de raças de suínos naturalizados (Nilo, Piau, Moura e Monteiro), machos e fêmeas, foi avaliado em relação à altura do quadril, comprimento do focinho e comprimento da cabeça, usando-se a equação alométrica. As medidas do corpo geralmente apresentam um crescimento mais tardio em relação ao comprimento do focinho e precocemente em relação ao comprimento da cabeça e altura do quadril. Ao comparar as raças de suínos, as fêmeas da raça Moura apresentaram características relacionadas com o crescimento muscular (circunferência torácica, comprimento do corpo e diâmetro longitudinal) mais tardiamente ao comprimento da cabeça. Fêmeas Nilo apresentaram características do comprimento do ombro, comprimento da garupa e a distância interesquiática mais precoce em relação ao comprimento do focinho. Foram encontradas diferenças entre a raça e o sexo no tempo de desenvolvimento para as diferentes partes do corpo, mostrando que os sistemas de criação e utilização desses animais devem ser específicos para cada raça.
Palavras-chave: Huxley,Monteiro,morfometria,Moura,Nilo,Piau.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Dináh Krummenauer Formenton, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS

Departamento de Zootecnia

Bruno Stefano Lima Dallago, Universidade de Brasília, Brasília, DF

Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Universidade de Brasília;

INCT-Pecuária, Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia – Informação Genético-Sanitária da Pecuária Brasileira-Pecuária (CNPq/INCT/IGSPB), Belo Horizonte, MG.

 

José Braccini Neto, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Departamento de Zootecnia

Candice Bergmann Garcia e Silva Tanure, Universidade de Brasília, Brasília, DF

Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Universidade de Brasília

Vanessa Peripolli, Instituto Federal Catarinense

Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Universidade de Brasília

Concepta McManus, Universidade de Brasília, Brasília, DF

Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Universidade de Brasília;

INCT-Pecuária, Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia – Informação Genético-Sanitária da Pecuária Brasileira-Pecuária (CNPq/INCT/IGSPB), Belo Horizonte, MG.

 

Publicado
09-04-2019
Como Citar
Formenton, B., Dallago, B., Braccini Neto, J., Tanure, C., Peripolli, V., & McManus, C. (2019). CRESCIMENTO ALOMÉTRICO DE SUÍNOS BRASILEIROS NATURALIZADOS. Ciência Animal Brasileira, 20(1), 1-13. Recuperado de https://revistas.ufg.br/vet/article/view/38449
Seção
ZOOTECNIA