ASPECTOS BIOLÓGICOS DE Holochilus sp., HOSPEDEIRO NATURAL DA ESQUISTOSSOMOSE

Autores

  • Maria Gabriela Sampaio Lira Universidade Estadual do Maranhão, São Luis, MA
  • Guilherme Silva Miranda Universidade Estadual do Maranhão, São Luis, MA
  • João Gustavo Mendes Rodrigues Universidade Estadual do Maranhão, São Luis, MA
  • Ranielly Araújo Nogueira Universidade Estadual do Maranhão, São Luis, MA
  • Gleycka Cristine Carvalho Gomes Universidade Estadual do Maranhão, São Luis, MA
  • Lorrane Gabrielle Cantanhêde Universidade Estadual do Maranhão, São Luis, MA
  • Nêuton Silva-Souza Universidade Estadual do Maranhão, São Luis, MA

DOI:

https://doi.org/10.1590/cab.v17i1.37093

Palavras-chave:

Roedor, Reprodução, Schistosoma mansoni.

Resumo

Neste estudo objetivou-se analisar os aspectos reprodutivos (período estacional e quantidade de embriões) e a positividade para S. mansoni em roedores do gênero Holochilus, no município de São Bento – MA. Para isso, foram realizadas capturas mensais de até 10 roedores Holochilus sp., aleatoriamente quanto ao sexo, anotando-se o período estacional do município de São Bento nos meses de captura. Em laboratório, os roedores tiveram as fezes analisadas quanto à positividade para S. mansoni pelo método Kato-Katz. Após a análise, os animais foram anestesiados para a obtenção do comprimento total, peso corporal e determinação do sexo. Nas fêmeas, foi realizada a incisão da porção ventral do corpo, para a verificação da presença de embriões e contagem dos mesmos. Dentre os roedores capturados, ocorreu dominância de machos em quase todos os meses e eles tenderam a ser mais pesados e apresentaram maior porte que as fêmeas. Os animais mostraram elevado potencial reprodutivo. A positividade para S. mansoni e a reprodução dos Holochilus sp. foram maiores no período chuvoso de São Bento. Quanto ao número de embriões, constatou-se que, no período chuvoso, foram encontrados em maior quantidade por fêmea. Em suma, a intensa atividade reprodutiva juntamente à suscetibilidade para S. mansoni apresentada pelos roedores são fatores que ajudam na manutenção e agravam a esquistossomose na Baixada Maranhense.
Palavras-chave: roedor; reprodução; Schistosoma mansoni.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Gabriela Sampaio Lira, Universidade Estadual do Maranhão, São Luis, MA

Departamento de Química e Biologia, Parasitologia

Guilherme Silva Miranda, Universidade Estadual do Maranhão, São Luis, MA

Departamento de Química e Biologia, Parasitologia

João Gustavo Mendes Rodrigues, Universidade Estadual do Maranhão, São Luis, MA

Departamento de Química e Biologia, Parasitologia

Ranielly Araújo Nogueira, Universidade Estadual do Maranhão, São Luis, MA

Departamento de Química e Biologia, Parasitologia

Gleycka Cristine Carvalho Gomes, Universidade Estadual do Maranhão, São Luis, MA

Departamento de Química e Biologia, Parasitologia

Lorrane Gabrielle Cantanhêde, Universidade Estadual do Maranhão, São Luis, MA

Departamento de Química e Biologia, Parasitologia

Nêuton Silva-Souza, Universidade Estadual do Maranhão, São Luis, MA

Departamento de Química e Biologia, Parasitologia

Downloads

Publicado

2016-01-30

Como Citar

LIRA, M. G. S.; MIRANDA, G. S.; RODRIGUES, J. G. M.; NOGUEIRA, R. A.; GOMES, G. C. C.; CANTANHÊDE, L. G.; SILVA-SOUZA, N. ASPECTOS BIOLÓGICOS DE Holochilus sp., HOSPEDEIRO NATURAL DA ESQUISTOSSOMOSE. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 17, n. 1, p. 143–153, 2016. DOI: 10.1590/cab.v17i1.37093. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/37093. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária