UTILIZAÇÃO DO TESTE HIPOSMÓTICO PARA AVALIAR A EFICÁCIA DE DIFERENTES PROTOCOLOS DE CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO

Autores

  • Rodrigo Freitas Bittencourt
  • Antônio de Lisboa Ribeiro Filho
  • Anselmo Domingos Ferreira Santos
  • Marcos Chalhoub
  • Sidney Gonçalves Gonzalez Sidney Gonçalves Alves
  • Marta Freitas Vasconcelos
  • Eider Edoardo Saldanha Leandro
  • José Domingos Guimarães

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v6i3.362

Resumo

Este estudo teve por objetivo comparar a eficácia de quatro protocolos de congelação do sêmen caprino (glicerol, glicerol+EDTA; etilenoglicol; etilenoglicol+EDTA), através da utilização do teste hiposmótico (HOST). O sêmen foi colhido de dois machos da raça Alpina, sexualmente maduros, diluído nos diferentes meios, congelado e armazenado em nitrogênio líquido. Após a colheita, 20ìL do sêmen fresco foram incubados com 01mL de solução hiposmótica (combinação de citrato de sódio e frutose em água destilada com osmolaridade de 125mOsmol), em banho-maria a 370C por 30 minutos. Este procedimento foi repetido após a descongelação e, em seguida, uma amostra foi colocada sobre lâmina/lamínula e avaliada em contraste de fase com mil vezes de aumento. Um total de 100 células foi contado, e as médias percentuais de espermatozóides com edema ou dobramento de cauda, após o HOST, foram – para o sêmen fresco, glicerol, glicerol+EDTA; etilenoglicol; etilenoglicol+EDTA –, respectivamente, 53,89; 16,90; 10,25; 52,64 e 57,54. PALAVRAS-CHAVE: Caprinos, criopreservação, sêmen, teste hiposmótico

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-10-31

Como Citar

BITTENCOURT, R. F.; RIBEIRO FILHO, A. de L.; SANTOS, A. D. F.; CHALHOUB, M.; ALVES, S. G. G. S. G.; VASCONCELOS, M. F.; LEANDRO, E. E. S.; GUIMARÃES, J. D. UTILIZAÇÃO DO TESTE HIPOSMÓTICO PARA AVALIAR A EFICÁCIA DE DIFERENTES PROTOCOLOS DE CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 6, n. 3, p. 213–218, 2006. DOI: 10.5216/cab.v6i3.362. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/362. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária