DENERVAÇÃO ARTICULAR COXOFEMORAL EM CÃES COM DOENÇA ARTICULAR DEGENERATIVA SECUNDÁRIA À DISPLASIA

Autores

  • Leandro Branco Rocha Universidade Federal do Piauí
  • Eduardo Alberto Tudury Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Cláudio Roehsig Médico Veterinário Autônomo
  • Durval Baraúna Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Ricardo Chioratto Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Felipe Purcell Araújo Universidade Estadual de Londrina
  • Bernado Kemper Universidade Federal Rural de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v14i1.3528

Palavras-chave:

Displasia, denervação, dor, reabilitação muscular

Resumo

A técnica de denervação coxofemoral é realizada em cães displásicos, com o intuito de aliviar a dor. O objetivo deste trabalho foi avaliar alívio da dor, melhora da função articular, reabilitação muscular e progressão da instabilidade em 10 cães displásicos submetidos à técnica de denervação da articulação coxofemoral. A graduação da apresentação clínica foi realizada através de avaliações específicas da andadura, testes de estação bípede, de rotação com abdução externa e de iliopsoas. A reabilitação muscular foi avaliada através da circunferência da coxa e exame físico. A avaliação da instabilidade foi feita através de técnica radiográfica para índice de distração. Na graduação da claudicação e teste de estação bípede foi verificado que houve redução significante a partir de um mês pós-cirúrgico. Já nos testes de abdução com rotação externa, houve redução da dor a partir do sétimo dia pós-cirúrgico; no teste de iliopsoas houve redução significante da dor, em todos os tempos do pós-cirúrgico. Houve aumento significante da circunferência da coxa a partir do sétimo dia. Foi observado que 90% tiveram redução do índice de distração, refletindo melhora da instabilidade. A técnica é eficaz no alívio da dor, na reabilitação muscular após a melhora na capacidade de exercitar-se e na redução da instabilidade, sendo motivo de satisfação para os proprietários.

 

PALAVRAS-CHAVE: denervação; displasia; dor; reabilitação muscular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Branco Rocha, Universidade Federal do Piauí

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (2000), especialização - Residencia em Clinica Médica de Pequenos Animais pela Universidade Federal de Minas Gerais (2001-2002) e mestrado em Ciência Veterinária pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (2005). Em 2006 foi Professor de Clínica Médica de Cães e Gatos na Associação de Ensino e Cultura Pio Décimo S/C Ltda Aracaju-SE e Cirurgião do Hospital Veterinário Dr. Vicente Borelli. Em 2007 e 2008/1 foi Professor de Clínica Cirúrgica I e Clínica Cirúrgica II desta mesma Faculdade desenvolvendo trabalho na rotina na área de cirurgia geral, ortopedia, neurologia e radiologia. Em 2008 foi primeiro colocado no concurso para Professor Assistente I, na área de Clínica Médica e Cirurgia de Cães e Gatos na Universidade Federal do Piauí (Bom Jesus PI), onde permanece atualmente . Tem experiência na área de Medicina Veterinária, com ênfase em

Eduardo Alberto Tudury, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Dr. Professor, Associado I - Departamento de Medicina Veterinária (DMV)

Durval Baraúna, Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco

Colegiado de Medicina Veterinária

Ricardo Chioratto, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Doutorando

Felipe Purcell Araújo, Universidade Estadual de Londrina

Residente II - Departamento de Clínicas Veterinárias

Bernado Kemper, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Mestrando - Departamento de Medicina Veterinária

Publicado

2013-03-26

Como Citar

ROCHA, L. B.; TUDURY, E. A.; ROEHSIG, C.; BARAÚNA, D.; CHIORATTO, R.; ARAÚJO, F. P.; KEMPER, B. DENERVAÇÃO ARTICULAR COXOFEMORAL EM CÃES COM DOENÇA ARTICULAR DEGENERATIVA SECUNDÁRIA À DISPLASIA. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 14, n. 1, p. 120–134, 2013. DOI: 10.5216/cab.v14i1.3528. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/3528. Acesso em: 28 maio. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária