DEGRADAÇÃO RUMINAL DA MATÉRIA SECA, DA PROTEÍNA BRUTA E DA FRAÇÃO FIBRA DE SILAGENS DE MILHO E DE CAPIM-ELEFANTE

Autores

  • Lindomar Luiz Sarti
  • Clóves Cabreira Jobim
  • Antônio Feriani Branco
  • Fábio Jacobs

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v6i1.350

Resumo

O trabalho foi realizado na Fazenda Experimental de Iguatemi, da Universidade Estadual de Maringá, com o objetivo de avaliar a degradabilidade ruminal in situ da matéria seca (MS), da proteína bruta (PB) e da fibra de detergente neutro (FD)N da silagem de milho e de silagens de capim-elefante (Pennisetum purpureum Schum.) cv. Cameroon, inoculadas com inoculante enzimo-bacteriano (SCE-IEB) e inoculante bacteriano (SCE-IB). A degradabilidade potencial (DP) da MS e da FDN foi superior (P<0,05) para as silagens de milho e SCE-IEB em relação a SCE-IB, fato também observado para a degradabilidade efetiva (DE) da PB. Os valores observados para DP da MS, da PB e FDN para as silagens de milho, SCE-IEB e SCE-IB foram: 79,13%; 76,52% e 69,00%; 80,88%; 79,99% e 71,42%; 80,88%; 80,00% e 60,51%, respectivamente. A SCE-IB foi a que apresentou as maiores taxas da fração não-degradável, tanto para MS como para PB e FDN. Entre as silagens de capim-elefante, SCE-IEB apresentou os melhores resultados de degradabilidade ruminal, o que pode ser atribuído, em parte, à ação do inoculante enzimo-bacteriano. PALAVRAS-CHAVE: Degradabilidade efetiva, nitrogênio amoniacal, silagem de gramíneas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-10-28

Como Citar

SARTI, L. L.; JOBIM, C. C.; BRANCO, A. F.; JACOBS, F. DEGRADAÇÃO RUMINAL DA MATÉRIA SECA, DA PROTEÍNA BRUTA E DA FRAÇÃO FIBRA DE SILAGENS DE MILHO E DE CAPIM-ELEFANTE. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 6, n. 1, p. 1–10, 2006. DOI: 10.5216/cab.v6i1.350. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/350. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Produção Animal