ANÁLISE DE CRESCIMENTO EM BRAQUIÁRIA NOS SISTEMAS DE PLANTIO SOLTEIRO E CONSÓRCIO COM LEGUMINOSAS

Autores

  • Sérgio Renato Artiaga da Rosa
  • Tomas de Aquino Portes Castro
  • Itamar Pereira de Oliveira

Resumo

Neste trabalho avaliou-se o efeito da competição no crescimento da gramínea forrageira Urochloa brizantha cv Marandu em consórcio com as leguminosas forrageiras Stylosanthes guianensis cv Mineirão e Neonotonia wightii cv Comum, nos sistemas de plantio solteiro e em consórcio.O delineamento experimental foi o em blocos casualizados, com quatro repetições, cujos tratamentos foram os seguintes: Braquiária em sistema solteiro de plantio; braquiária em consórcio com soja perene e braquiária em consórcio com estilozantes. Para a análise de crescimento foram colhidas plantas ao nível do solo aleatoriamente na parcela e, posteriormente, encaminhadas ao Laboratório de Fisiologia Vegetal da Embrapa – CNPAF. As taxas de crescimento da cultura (TCC) braquiária nos sistemas consorciados de plantio foram inferiores em relação ao sistema solteiro, sendo que o estilozante contribuiu de forma mais expressiva para a redução dessa taxa. Considerando-se que a TCC máxima (kg.ha-1.dia-1) do braquiária foi obtida aos 84 DAE e que o IAF observado nessa mesma data correspondente ao IAF ótimo,demonstra-se que os consórcios não afetaram o ciclo da gramínea, mas sim os valores obtidos para TCC e IAF. Isso pode levar a concluir que existe competição interespecífica nos cultivos consorciados, o que interfere de forma diferenciada nos parâmetros avaliados. PALAVRAS-CHAVE: Índice de área foliar, Neonotonia wightii, Stylosanthes guianensis, taxa de crescimento da cultura,Urochloa brizantha.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-10-26

Como Citar

ROSA, S. R. A. da; CASTRO, T. de A. P.; OLIVEIRA, I. P. de. ANÁLISE DE CRESCIMENTO EM BRAQUIÁRIA NOS SISTEMAS DE PLANTIO SOLTEIRO E CONSÓRCIO COM LEGUMINOSAS. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 5, n. 1, p. 11–18, 2006. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/318. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Produção Animal