UTILIZAÇÃO DE GLICEROL E ETILENOGLICOL COMO CRIOPROTETORES NA CONGELAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO

Autores

  • Rodrigo Freitas Bittencourt
  • Antônio de Lisboa Ribeiro
  • Anselmo Domingos Ferreira Santos
  • Rogério Furst
  • Rafael Bruno Santos Teixeira
  • Marcos Chalhoub
  • Ana Paula Portela
  • Sidney Gonçalves Gonzalez Alves
  • Ana Karine Almeida
  • José Domingos Guimarães

Resumo

Dez amostras de sêmen de dois reprodutores caprinos, da raça Parda-alpina, colhidas em vagina artificial, foram submetidas a quatro tratamentos para avaliação da eficiência do etilenoglicol e do glicerol, associados ou não ao EDTA, na criopreservação da célula espermática caprina. O diluente usado era à base de Tris-gema de ovo contendo 7% de glicerol (glicerol E glicerol+EDTA) ou 7% de etilenoglicol (etilenoglicol e etilenoglicol + EDTA), sendo que nos grupos glicerol+EDTA e etilenoglicol+EDTA foi associado ao diluente 0,1% de EDTA. As amostras foram mantidas por 60 minutos em geladeira a 40C, onde então era efetuada a congelação em nitrogênio (-1960C). A descongelação foi realizada em banho-maria a 370C por 30segundos. As médias obtidas para motilidade (%) a descongelação, para os grupos glicerol, glicerol+EDTA, etilenoglicol, etilenoglicol+EDTA, foram, respectivamente, 51%; 61%; 10% e 12%. Os grupos que utilizaram o glicerol como crioprotetor obtiveram melhores taxas de motilidade pós-descongelação, principalmente quando foi associado ao diluidor o EDTA (grupo glicerol+EDTA). Porém, esse resultado foi comprometido pelos maiores índices de alterações patológicas nos grupos que continham o glicerol. PALAVRAS-CHAVE: Caprinos, criopreservação, sêmen, glicerol, etilenoglicol, EDTA

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-10-26

Como Citar

BITTENCOURT, R. F.; RIBEIRO, A. de L.; SANTOS, A. D. F.; FURST, R.; TEIXEIRA, R. B. S.; CHALHOUB, M.; PORTELA, A. P.; ALVES, S. G. G.; ALMEIDA, A. K.; GUIMARÃES, J. D. UTILIZAÇÃO DE GLICEROL E ETILENOGLICOL COMO CRIOPROTETORES NA CONGELAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 5, n. 1, p. 27–34, 2006. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/316. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Produção Animal