ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DOS ACIDENTES ESCORPIÔNICOS EMSALVADOR, BAHIA, BRASIL

Autores

  • Maria das Graças Rodrigues Barbosa
  • Maria Emilia Bavia
  • Cruiff Emerson Pinto da Silva
  • Fabio Rodrigues Barbosa

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v4i2.303

Resumo

Analisaram-se as variáveis epidemiológicas envolvidas em 205 casos de acidentes escorpiônicos ocorridos na cidade de Salvador, Bahia, registrados no Centro de Informações Antiveneno (CIAVE, BA), no período de 1999 a2000. A maioria dos acidentes foi causada pelo Tityus stigmurus, no intradomicílio, no horário diurno, com proporções mais elevadas nas mãos de pessoas do sexo feminino da faixa etária entre 15 a 35 anos. A maior freqüência de distribuição dos acidentes escorpiônicos, durante o período estudado, foi registrada no mês de novembro e nos bairros Nordeste de Amaralina, Vale das Pedrinhas e Cajazeiras. As manifestações clínicas locais foram observadas em 85% dos acidentados. Os casos assintomáticos ocorreram em menor proporção. De acordo com a avaliação clínica, 87,8% dos acidentes foram classificados como de qua-dro leve. Nenhum caso de óbito foi registrado durante o período estudado. Em Salvador, o escorpionismo está urbanizado. Todos os casos de acidentes registrados são autóctones, de áreas classificadas como urbanas, com alta densidade demográfica. PALAVRAS-CHAVE: Escorpiões, escorpionismo, epidemiologia, Salvador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-10-26

Como Citar

BARBOSA, M. das G. R.; BAVIA, M. E.; SILVA, C. E. P. da; BARBOSA, F. R. ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DOS ACIDENTES ESCORPIÔNICOS EMSALVADOR, BAHIA, BRASIL. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 4, n. 2, p. 155–162, 2006. DOI: 10.5216/cab.v4i2.303. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/303. Acesso em: 20 jun. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária