COMPORTAMENTO INGESTIVO E DE ATIVIDADES DE NOVILHOS CONFINADOS COM SILAGENS DE MILHO DE DIFERENTES TAMANHOS DE PARTÍCULA E ALTURAS DE COLHEITA

Autores

  • Mikael Neumann UNICENTRO
  • João Restle UFG
  • Paulo Roberto Frenzel Frenzel Mühlbach
  • José Laerte Nörnberg
  • Marco Aurélio Romano
  • Sebastião Brasil Campos Lustosa

Palavras-chave:

Pastagens, bovinos, nutrição animal

Resumo

O experimento foi desenvolvido com o objetivo de avaliar o efeito do tamanho de partícula (pequena: entre 0,2 e 0,6 cm ou grande: entre 1 e 2 cm) e da altura de corte de plantas de milho colhidas para ensilagem (baixo:15,2 cm ou alto: 38,6 cm), sobre o comportamento ingestivo e das atividades de novilhos confinados, constituindo-se os tratamentos: TPB – silagem de partícula pequena com altura de corte baixo; TGB – silagem de partícula grande com altura de corte baixo; TPA – silagem de partícula pequena com altura de corte alto; e TGA – silagem de partícula grande com altura de corte alto. A relação volumoso:concentrado foi de 62,7%:37,3%. Não se detectou diferença significativa entre os tratamentos no tempo gasto pelos animais na atividade de consumo alimentar (4,19; 4,03; 4,13 e 4,01 h, respectivamente). Houve interação significativa entre altura de colheita e tamanho de partículas para a atividade de ruminação. Nas silagens de corte alto o tempo gasto com ruminação foi significativamente maior para partículas grandes (9,47 h) em relação às partículas pequenas (7,98 h), porém, no corte baixo, a diferença entre partículas grandes (9,04 h) e pequenas (8,73 h) não foi significativa.

PALAVRAS-CHAVES: Capacidade de seleção, comportamento animal, separador de partículas, tempo de ruminação, tempo de ócio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-07-02

Como Citar

NEUMANN, M.; RESTLE, J.; MÜHLBACH, P. R. F. F.; NÖRNBERG, J. L.; ROMANO, M. A.; LUSTOSA, S. B. C. COMPORTAMENTO INGESTIVO E DE ATIVIDADES DE NOVILHOS CONFINADOS COM SILAGENS DE MILHO DE DIFERENTES TAMANHOS DE PARTÍCULA E ALTURAS DE COLHEITA. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 10, n. 2, p. 462–473, 2009. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/2987. Acesso em: 27 set. 2022.

Edição

Seção

Produção Animal