AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO DE NUTRIENTES E ABSORÇÃO PELO Stylosanthes guianensis cv. Mineirão SOB DOSES CRESCENTES DE CALCÁRIO EM SOLO DO CERRADO

Autores

  • Kátia Aparecida de Pinho Costa
  • Itamar Pereira de Oliveira
  • Beneval Rosa
  • Cideon Donizete Faria
  • Daniel Pettersen Custódio

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v3i2.290

Resumo

O experimento foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito de doses crescentes de calcário dolomítico no desenvolvimento de plantas, teores de proteína bruta e absorção de fósforo, zinco, cálcio e magnésio do Stylosanthes guianensis cv. Mineirão. Foram considerados cinco tratamentos: 0, 1, 2, 3 e 4 t/ha de calcário dolomítico. Os vasos foram arranjados em blocos ao acaso com quatro repetições. Dez dias após a geminação, foi realizado um desbaste que permitiu a permanência de 10 plantas por vaso. Foram realizados dois cortes numa altura de 10 cm do solo. A altura da planta e a produção de matéria seca foram influenciadas pela aplicação de calcário. Baixas doses de calcário são suficientes para se elevar o teor de proteína. A eficiência do calcário na absorção de fósforo é muito pequena. Doses muito elevadas de calcário são exigidas para se conseguir a absorção máxima de fósforo. A aplicação de calcário afeta negativamente a absorção de zinco pela planta mãe mas positivamente pelos brotos e perfilhos. Doses relativamente baixas são necessárias para a absorção máxima de cálcio e magnésio no primeiro corte, mas doses maiores são requeridas para a absorção desses nutrientes pelas plantas produzidas após o corte. PALAVRAS-CHAVE: Absorção de Ca, Mg, P e Zn, correção do solo, produção de matéria seca, proteína bruta, solo de cerrado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-10-25

Como Citar

COSTA, K. A. de P.; OLIVEIRA, I. P. de; ROSA, B.; FARIA, C. D.; CUSTÓDIO, D. P. AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO DE NUTRIENTES E ABSORÇÃO PELO Stylosanthes guianensis cv. Mineirão SOB DOSES CRESCENTES DE CALCÁRIO EM SOLO DO CERRADO. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 3, n. 2, p. 13–19, 2006. DOI: 10.5216/cab.v3i2.290. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/290. Acesso em: 26 fev. 2024.

Edição

Seção

Produção Animal