SUBSTITUIÇÃO DO CLORETO DE COLINA POR UMA FONTE DE COLINA VEGETAL EM DIETAS PARA FRANGOS DE CORTE

Autores

  • Arele Arlindo Calderano
  • Ricardo Vianna Nunes
  • Ramalho José Barbosa Rodrigueiro
  • Ricardo Andrade César

DOI:

https://doi.org/10.1590/cab.v16i1.27404

Palavras-chave:

Produção animal, Aves

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar o uso de uma fonte de colina vegetal em substituição ao cloreto de colina em dietas para frangos de corte de um a 21 e 22 a 42 dias de idade. No primeiro experimento foram usados 1500 frangos de corte machos Cobb com um dia de idade, distribuídos em um delineamento inteiramente ao acaso com dez tratamentos, cinco repetições e 30 aves por unidade experimental. No segundo experimento foram usados 1000 frangos de corte machos Cobb com 22 dias de idade distribuídos em um delineamento inteiramente ao acaso com dez tratamentos, cinco repetições e 20 aves por unidade experimental. Os tratamentos consistiram em cinco níveis de cloreto de colina 60% (400, 500, 600, 700 e 800 mg/kg) e cinco da fonte de colina vegetal (100, 150, 200, 250 e 300 mg/kg). Não houve diferença entre as médias dos parâmetros produtivos nas duas fases experimentais. O uso de até 100 mg/kg de uma fonte vegetal de colina pode substituir o uso de cloreto de colina, nos níveis estudados, em dietas a base de milho e farelo de soja para frangos de um a 21 e 22 a 42 dias de idade.

Palavras-chave: Aves; desempenho; exigência nutricional; vitamina

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2015-01-31

Como Citar

CALDERANO, A. A.; NUNES, R. V.; RODRIGUEIRO, R. J. B.; CÉSAR, R. A. SUBSTITUIÇÃO DO CLORETO DE COLINA POR UMA FONTE DE COLINA VEGETAL EM DIETAS PARA FRANGOS DE CORTE. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 16, n. 1, p. 37–44, 2015. DOI: 10.1590/cab.v16i1.27404. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/27404. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Produção Animal