DIAGNÓSTICO DA FREQÜÊNCIA DA BRUCELOSE BOVINA EM VACAS EM LACTAÇÃO NA BACIA LEITEIRA DE GOIÂNIA PELAS PROVAS DO ANEL DO LEITE E ROSA BENGALA

Autores

  • Cléverson Santos Acypreste
  • Luiz Antônio Franco da Silva
  • Albenones José de Mesquita
  • Maria Clorinda Soares Fioravanti
  • Francisco de Carvalho Dias Filho
  • Ludmila Souza Ramos

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v3i1.272

Resumo

Com o objetivo de avaliar o comportamento dos testes do anel do leite e do rosa bengala na triagem da brucelose bovina e verificar a freqüência desta enfermidade em vacas em lactação na bacia leiteira de Goiânia, foram colhidas 106 amostras de leite em latões e 870 amostras de sangue de vacas em lactação de 45 propriedades rurais no raio de 100 km de Goiânia. As amostras de leite foram submetidas à prova do anel e o soro sangüíneo testado pela prova do rosa bengala. Os resultados encontrados foram 11,11% para propriedades e 5,66% para amostras no teste do anel do leite enquanto o rosa bengala encontrou 1,74% de animais positivos e 17,78% de propriedades com animais infectados. As provas foram avaliadas entre si por meio do teste do c2, não encontrando diferença estatística (P>0,05), com uma concordância de 80% entre os resultados das duas provas. Os resultados encontrados pelo teste do anel do leite foram compatíveis com a avaliação sorológica individual determinada pelo rosa bengala. PALAVRAS-CHAVE: Brucelose, teste do anel, rosa bengala, bovino

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-10-24

Como Citar

ACYPRESTE, C. S.; SILVA, L. A. F. da; MESQUITA, A. J. de; FIORAVANTI, M. C. S.; DIAS FILHO, F. de C.; RAMOS, L. S. DIAGNÓSTICO DA FREQÜÊNCIA DA BRUCELOSE BOVINA EM VACAS EM LACTAÇÃO NA BACIA LEITEIRA DE GOIÂNIA PELAS PROVAS DO ANEL DO LEITE E ROSA BENGALA. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 3, n. 1, p. 59–65, 2006. DOI: 10.5216/cab.v3i1.272. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/272. Acesso em: 30 maio. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária