CARACTERÍSTICAS FÍSICO-QUÍMICAS DO LEITE DE ÉGUAS DA RAÇA MANGALARGA MARCHADOR

Autores

  • Alline de Paula Reis
  • Edmar Soares Nicolau
  • Albenones José de Mesquita
  • Kamilla Rezende de Pinheiro Santos
  • Fábio Henrique de Oliveira
  • Iara Barbacena Maciel
  • Ediane Batista da Silva

Palavras-chave:

Leite equino, fisico-quimica

Resumo

A determinação da densidade, do pH, da crioscopia e da acidez do leite é importante para distinguir o leite saudável dos oriundos de fraudes ou de animais doentes. Esses parâmetros, no entanto, não são muito explorados pelos pesquisadores da área de eqüinocultura, até os dias atuais. O objetivo deste estudo foi determinar os parâmetros densidade, crioscopia, pH e acidez, do leite de éguas da raça Mangalarga-Marchador. Utilizaram-se 31 éguas oriundas de quatro haras localizados num raio de 120 km de Goiânia, Goiás, as quais foram ordenhadas a partir do 15º dia após o parto e quinzenalmente até 120 dias. Os valores médios encontrados para densidade, crioscopia, pH lactose e acidez foram, respectivamente, 1,0341g/mL; -0,545 OH; 7,12; 6,57% e 4,73ºD. Este estudo permitiu o conhecimento acerca da amplitude de variação dos parâmetros estudados no leite de éguas Mangalarga Marchador no Estado de Goiás. Novos estudos devem ser realizados, para melhor caracterizar os fatores que influenciam essas variáveis físico-químicas, tais como a higiene de ordenha e o tempo decorrido, entre a ordenha e o momento da realização da prova da acidez, além das diversas fraudes praticadas pelos criadores.

Palavras-chaves: Acidez, crioscopia, densidade, eqüino, leite.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-10

Como Citar

REIS, A. de P.; NICOLAU, E. S.; MESQUITA, A. J. de; SANTOS, K. R. de P.; OLIVEIRA, F. H. de; MACIEL, I. B.; SILVA, E. B. da. CARACTERÍSTICAS FÍSICO-QUÍMICAS DO LEITE DE ÉGUAS DA RAÇA MANGALARGA MARCHADOR. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 8, n. 4, p. 807–813, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/2702. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Medicina Veterinária