CONSUMO VOLUNTÁRIO, DIGESTIBILIDADE APARENTE E CINÉTICA DIGESTIVA DE TRÊS FORRAGEIRAS EM OVINOS

Autores

  • Ives Cláudio da Silva Bueno
  • Dorinha Miriam Silber Schmidt Vitti
  • Adibe Luiz Abdalla
  • Helder Louvandini

Palavras-chave:

Ovinos, forragens, digestibilidade

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o consumo voluntário, a digestibilidade aparente e a cinética diges-tiva de três forragens, com teores protéicos distintos, em ovinos. Utilizaram-se  seis ovinos da raça Santa Inês (PV = 40 ± 5,7 kg), machos adultos, castrados e providos de cânulas ruminais. Optou-se pelo uso de fenos de alfafa (ALF), de braquiária (BRA) e de capim Tifton-85 (TIF) pelos seus teores de proteína bruta (PB), respectivamente, 191, 29 e 75 g kg-1 MS. Alocaram-se os tratamentos e os animais em delineamento de dois quadrados latinos (três tratamentos, três períodos e seis animais). As dietas consistiam exclusivamente de ALF, BRA ou TIF e mistura mineral, oferecida separadamente. O ensaio de consumo voluntário foi realizado em baias individuais e os de digestibilidade e cinética digestiva, em gaiolas de metabolismo. Determinou-se a digestibilidade aparente por coleta total de fezes. Estimou-se a cinética digestiva mediante o uso de Co-EDTA e fibra Cr-mordantada como marcadores das fases líquida e sólida, respectivamente. Compararam-se as médias por teste de Tukey. O consumo voluntário de MS do tratamento ALF foi maior (P < 0,05) que os tratamentos BRA e TIF, o que refletiu a forte relação entre consumo e teor de proteína na dieta. Os coeficientes de digestibilidade aparente da MS e da MO também foram superiores (P < 0,05) para ALF. A digestibilidade aparente da proteína bruta mostrou diferenças (P < 0,05) entre os três tratamentos, sendo ALF (0,694) a mais alta que se observou, seguida por TIF (0,500). Para o tratamento BRA, essa variável foi praticamente nula (0,001), indicando déficit protéico intenso. O consumo voluntário e a digestibilidade aparente dos alimentos testados receberam influência da composição química e da cinética digestiva. Alimentos com baixo teor protéico prejudicaram a digestibilidade aparente de nutrientes, diminuindo, próximo à nulidade, para a proteína do tratamento BRA.

Palavras-chaves:  Alfafa, braquiária, marcadores, nutrição, ruminantes, Tifton.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-10

Como Citar

BUENO, I. C. da S.; VITTI, D. M. S. S.; ABDALLA, A. L.; LOUVANDINI, H. CONSUMO VOLUNTÁRIO, DIGESTIBILIDADE APARENTE E CINÉTICA DIGESTIVA DE TRÊS FORRAGEIRAS EM OVINOS. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 8, n. 4, p. 713–722, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/2692. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Produção Animal