EFEITO DO HORÁRIO DE FORNECIMENTO DE RAÇÕES CONTENDO DIFERENTES NÍVEIS DE CÁLCIO SOBRE O DESEMPENHO PRODUTIVO E QUALIDADE DE OVOS DE CODORNAS JAPONESAS (Coturnix japonica) EM FINAL DE PRODUÇÃO

Autores

  • Carla Cachoni Pizzolante
  • Érika Salgado Politi Braga Saldanha
  • Edivaldo Antonio Garcia
  • Hirasilva Borba Alves de Souza
  • Aline Mary Scatolini
  • Marcel Manente Boiago

Palavras-chave:

Qualidade de ovos, codornas

Resumo

Objetivou-se buscar o melhor horário de fornecimento e melhor nível de cálcio, visando otimizar o desempenho e qualidade dos ovos de codornas em final de produção. Foram utilizadas 360 codornas japonesas, em produção, com 54 semanas de idade, em delineamento inteiramente ao acaso com três tratamentos: T1 - 3,75% de cálcio (Ca) pela manhã (das 8,00 às 16,00 horas) e 1,25% de Ca à tarde (das 16,00 horas ás 8,00 horas); T2 - 2,5% de Ca pela  manhã e 2,5 de Ca à tarde; e T3 - 1,25 de Ca pela manhã e 3,75%  de Ca à tarde,  com seis repetições de vinte aves por parcela. As rações isoprotéicas e isocalóricas foram balanceadas para fornecer às aves 2,5% de cálcio em média. Não foram constatadas diferenças estatísticas (P>0,05) para peso médio dos ovos (g), percentagem de postura (%), massa de ovos (g/ave/dia), consumo de ração (g), conversão alimentar por quilograma e por dúzia de ovos, gravidade específica, índice gema, Unidades Haugh, espessura, percentagem e resistência à quebra da casca. Pode-se concluir que a variação dos níveis de cálcio durante os períodos considerados não alterou o desempenho e a qualidade dos ovos de codornas.

Palavras-chaves: Cálcio, codornas, horário, produção de ovos, qualidade de ovos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-10

Como Citar

PIZZOLANTE, C. C.; SALDANHA, Érika S. P. B.; GARCIA, E. A.; SOUZA, H. B. A. de; SCATOLINI, A. M.; BOIAGO, M. M. EFEITO DO HORÁRIO DE FORNECIMENTO DE RAÇÕES CONTENDO DIFERENTES NÍVEIS DE CÁLCIO SOBRE O DESEMPENHO PRODUTIVO E QUALIDADE DE OVOS DE CODORNAS JAPONESAS (Coturnix japonica) EM FINAL DE PRODUÇÃO. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 8, n. 4, p. 677–683, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/2688. Acesso em: 1 dez. 2022.

Edição

Seção

Produção Animal