CUSTO DA IMPLANTAÇÃO DA RASTREABILIDADE EM BOVINOCULTURA UTILIZANDO OS DIFERENTES MÉTODOS DE IDENTIFICAÇÃO PERMITIDOS PELO SISBOV

Autores

  • Marcos Aurélio Lopes
  • Glauber dos Santos

Palavras-chave:

Simulação, custos, rastreabilidade

Resumo

Esta pesquisa teve como objetivo estimar, por meio de simulação, o custo de diferentes métodos de identificação de bovinos, bem como discutir algumas vantagens e limitações de cada um, visando fornecer informações que subsidiem técnicos e pecuaristas na decisão de escolher um método para identificar os bovinos por ocasião da im-plantação do SISBOV. Foram levantadas todas as despesas operacionais referentes à identificação de bovinos e bubalinos com brinco e botton (brbo), brinco e marca a fogo (brmf), brinco e tatuagem (brta) e brinco com diferentes dispositivos eletrônicos (brde) (chip intra-ruminal – chip intra; chip subcutâneo – chip sub; e brinco eletrônico – bri ele). Na simulação, considerou-se a identificação de 100, 500, 1.000 e 5.000 animais. O custo da identificação e da rastreabilidade variou diante do método utilizado, bem como diante da quantidade de animais, sendo o brinco e marca a fogo aquele que apresentou o menor valor nas diferentes escalas de produção, dentre os menos tecnificado. Já entre os dispositivos eletrônicos, o que apresentou o menor custo foi o brinco e brinco eletrônico e brinco e chip subcutâneo, nas menores e maiores escalas, respectivamente. No entanto, cabe a cada produtor e/ou técnico definir qual deve ser o método de identificação adequado ao seu sistema de produção, considerando as vantagens e limitações de cada um dos métodos.

Palavras-chaves: Bovinocultura, custo de produção, identificação animal, rastreabilidade, simulação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-10

Como Citar

LOPES, M. A.; DOS SANTOS, G. CUSTO DA IMPLANTAÇÃO DA RASTREABILIDADE EM BOVINOCULTURA UTILIZANDO OS DIFERENTES MÉTODOS DE IDENTIFICAÇÃO PERMITIDOS PELO SISBOV. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 8, n. 4, p. 657–664, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/2686. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Produção Animal