OCORRÊNCIA DE ANTICORPOS CONTRA O HERPESVÍRUS EQUINO E VIRUS DA ARTERITE EQUINA EM REBANHOS EQUINOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Autores

  • Kathryn Anne Ford Diaz Universidade Federal Fluminense
  • Paulo Ricardo Centeno Rodrigues Universidade Federal de Pelotas
  • Walter Lilenbaum Universidade Federal Fluminense
  • Marcelo de Lima Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.1590/cab.v16i3.26131

Palavras-chave:

Sanidade Animal

Resumo

A infecção pelo herpesvírus equino (EHV) e o vírus da arterite equina (EAV) tem sido associada a perdas econômicas importantes para a equideocultura em nível mundial. Estudos sorológicos têm demonstrado a circulação destes agentes no Brasil. O presente trabalho teve como objetivo principal estudar a ocorrência de anticorpos específicos contra o EAV e EHV em cavalos oriundos de diferentes regiões do estado do Rio de Janeiro. Para este propósito, foram coletadas amostras de soro de 581 animais não vacinados e de 44 éguas provenientes de um plantel vacinado regularmente contra a rinopneunonite equina. Todas as amostras foram submetidas ao teste de soroneutralização para a pesquisa de anticorpos específicos contra cada um dos vírus. Os resultados demonstraram 29,6% (172/581) de animais soropositivos para o EHV (títulos entre 2 e ? 256) e 0,79% (05/630) para o EAV (títulos entre  2 e 4.096). Considerando a sorologia positiva em animais não imunizados, os achados demonstram a indução de anticorpos específicos após exposição natural aos respectivos vírus, indicando uma possível circulação desses agentes nos rebanhos analisados.

Palavras-chave: anticorpos; EAV; EHV; equinos; soroneutralização.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-07-31

Como Citar

FORD DIAZ, K. A.; RODRIGUES, P. R. C.; LILENBAUM, W.; DE LIMA, M. OCORRÊNCIA DE ANTICORPOS CONTRA O HERPESVÍRUS EQUINO E VIRUS DA ARTERITE EQUINA EM REBANHOS EQUINOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 16, n. 3, p. 410–418, 2015. DOI: 10.1590/cab.v16i3.26131. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/26131. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária