AVALIAÇÃO DA DISSEMINAÇÃO DE Salmonella pullorum EM CODORNAS JAPONESAS (Coturnix coturnix) INFECTADAS EXPERIMENTALMENTE

Autores

  • Roberta Cristina Rocha-e-Silva Universidade Estadual do Ceará
  • William Maciel Cardoso
  • Adonai Aragão Siqueira
  • Régis Siqueira de Castro Teixeira
  • Átilla Holanda Albuquerque
  • Ruben Vasconcelos Horn

DOI:

https://doi.org/10.1590/cab17425039

Palavras-chave:

Sanidade Animal

Resumo

Salmonella Pulllorum é um patógeno que acomete várias espécies de aves, principalmente jovens, dentre essas, codornas. Dessa forma, o estudo teve como objetivo avaliar a eliminação da S.Pullorum em codornas japonesas (Coturnix coturnix) infectadas experimentalmente, bem como avaliar a capacidade de contaminação dos ovos. Foi utilizada uma cepa de S. Pullorum ATCC liofilizada para inoculação de todas as aves (60 codornas com 160 dias de idade). Antecedendo a inoculação, foi realizado exame de Soroaglutinação Rápida em Placas em todas as aves e coletados suabes cloacais individuais de aves escolhidas aleatoriamente. As aves do grupo A e do grupo B foram inoculadas, com 0,5 mL do inóculo contendo 1.5 x 102 UFC e 7.5 x 108 UFC, respectivamente, diretamente no papo. As coletas de suabes cloacais ocorreram nos dias 3, 6, 9, 16 e 23 pós-inoculação e todos os ovos foram coletados. Amostras positivas de suabes cloacais se iniciaram aos 03 dpi. Foi analisado um total de 30 pool de ovos, sendo 73% positivos para S.Pullorum até 16 dpi. Conclui-se dessa forma que possivelmente codornas japonesas adultas são mais resistentes a infecção por S.Pullorum, mas pode disseminar o agente ao meio  ambiente.

Palavras-chave: Codorna japonesa; infecção; inoculação;   ovos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2016-10-28

Como Citar

ROCHA-E-SILVA, R. C.; CARDOSO, W. M.; SIQUEIRA, A. A.; TEIXEIRA, R. S. de C.; ALBUQUERQUE, Átilla H.; HORN, R. V. AVALIAÇÃO DA DISSEMINAÇÃO DE Salmonella pullorum EM CODORNAS JAPONESAS (Coturnix coturnix) INFECTADAS EXPERIMENTALMENTE. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 17, n. 4, p. 550–556, 2016. DOI: 10.1590/cab17425039. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/25039. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária