PESQUISA DE OOCISTOS DE Isospora spp. EM PASSERIFORMES CRIADOS EM CATIVEIRO

Autores

  • Deuvânia Carvalho da Silva Faculdade de Medicina Veterinária, UNESP, Campus de Araçatuba
  • Camila Guariz Homem Faculdade de Medicina Veterinária, UNESP, Campus de Araçatuba
  • Alex Akira Nakamura Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, USP.
  • Valéria Cristina da Silva Faculdade de Medicina Veterinária, UNESP, Campus de Araçatuba
  • Marcelo Vasconcelos Meireles Faculdade de Medicina Veterinária, UNESP, Campus de Araçatuba

DOI:

https://doi.org/10.1590/cab.v15i4.22558

Palavras-chave:

Isospora spp., oocistos, amostras de fezes, aves

Resumo

O presente estudo teve como objetivo pesquisar, em longo prazo, a presença de oocistos de Isospora spp. em várias espécies de passeriformes, naturalmente infectadas, criadas em cativeiro. Foram colhidas 289 amostras em dois criatórios de passeriformes, onde houve comprovação prévia de infecção por Isospora, nos quais havia alojamento de várias espécies de passeriformes adultos. As amostras foram colhidas de forma individual, com periodicidade mensal, por 13 meses, purificadas em solução de Sheather e examinadas por microscopia. Das 289 amostras, 159 (55,02%) apresentaram positividade para oocistos de Isospora e 130 (44,98%) foram negativas. Na maioria das aves analisadas foi observada eliminação de oocistos, em pequena quantidade, intermitente e por período prolongado. Apesar de todas as aves apresentarem oocistos de Isospora nas fezes pelo menos uma vez, em um período de 13 meses, as aves não apresentaram isosporose clínica. Os resultados observados neste experimento fornecem dados para o controle da isosporose em passeriformes criados em cativeiro. As decisões sobre a realização de tratamento profilático ou curativo, assim como sobre medidas higiênico-sanitárias a serem adotadas devem levar em consideração não somente a presença de parasito em fezes, mas também a intensidade de eliminação de oocistos, ssim como a avaliação do manejo higiênico sanitário e nutricional e a presença de sinais clínicos e/ou de mortalidade.

PALAVRAS-CHAVE: amostras de fezes; aves; Isospora spp.; oocistos.


 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Deuvânia Carvalho da Silva, Faculdade de Medicina Veterinária, UNESP, Campus de Araçatuba

Mestre em Ciência Animal pela Faculdade de Medicina Veterinária, UNESP, Campus de Araçatuba. Doutoranda na mesma instituição

Camila Guariz Homem, Faculdade de Medicina Veterinária, UNESP, Campus de Araçatuba

Mestre em Ciência Animal pela Faculdade de Medicina Veterinária, UNESP, Campus de Araçatuba. Doutoranda na mesma instituição

Alex Akira Nakamura, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, USP.

Mestre em Epidemiologia das Enfermidades Infecciosas e Parasitárias pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, USP. Doutorando na mesma instituição

Valéria Cristina da Silva, Faculdade de Medicina Veterinária, UNESP, Campus de Araçatuba

Médica Veterinária formada pela Faculdade de Medicina Veterinária, UNESP, Campus de Araçatuba

Marcelo Vasconcelos Meireles, Faculdade de Medicina Veterinária, UNESP, Campus de Araçatuba

Prof. Adjunto do da disciplina de Ornitopatologia, Departamento de Clínica, Cirurgia e Reprodução Animal

Downloads

Publicado

2014-12-23

Como Citar

DA SILVA, D. C.; HOMEM, C. G.; NAKAMURA, A. A.; DA SILVA, V. C.; MEIRELES, M. V. PESQUISA DE OOCISTOS DE Isospora spp. EM PASSERIFORMES CRIADOS EM CATIVEIRO. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 15, n. 4, p. 484–489, 2014. DOI: 10.1590/cab.v15i4.22558. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/22558. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária