POTENCIAL OVICIDA DE Origanum vulgare (Lamiaceae) EM NEMATÓDEOS GASTRINTESTINAIS DE BOVINOS

Autores

  • Luciana L. Dias de Castro Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Instituto de Biologia, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Isabel Martins Madrid Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Instituto de Biologia, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Cíntia Lidiane G. Aguiar Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Instituto de Biologia, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Leonardo Mortagua de Castro Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Instituto de Biologia, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Marlete Brum Cleff Departamento de Clínicas Veterinária, Faculdade de Veterinária, UFPEL, Pelotas, RS, Brasil
  • Maria Elisabeth Aires Berne Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Instituto de Biologia, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Fábio Pereira Leivas Leite Núcleo de Biotecnologia, Centro de Desenvolvimento Tecnológico, UFPEL, Pelotas, RS, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v14i4.22080

Palavras-chave:

Sanidade Animal

Resumo

Em virtude da resistência dos nematódeos gastrintestinais aos antihelmínticos, diversas pesquisas têm sido desenvolvidas buscando-se alternativas de controle para essas parasitoses. Nesse contexto, o estudo avaliou a ação in vitro de Origanum vulgare sobre ovos de nematódeos gastrintestinais de bovinos. Para avaliar a capacidade de inibição da eclodibilidade dos ovos, diferentes formas de extratos das folhas secas desta planta foram testadas como tintura, extrato hidroalcoólico e extrato aquoso nas concentrações de 0,62 a 80 mg/mL. Cada ensaio foi acompanhado de controle contendo cloridrato de levamisol (0,2 mg/mL), água destilada e álcool de cereais 70° GL nas mesmas concentrações dos produtos. Os resultados dos testes demonstraram que os diferentes extratos de O. vulgare inibiram a eclodibilidade dos ovos de nematódeos gastrintestinais de bovinos com percentual de inibição variando de 8,8 a 100%, sendo a tintura e o extrato hidroalcoólico as formas mais promissoras. Frente a esta propriedade ovicida, o O. vulgare pode representar uma importante fonte de compostos antiparasitários viáveis para o controle das nematodioses em ruminantes.

PALAVRAS-CHAVE: Fitoterápico; Haemonchus spp.; in vitro; orégano

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-12-17

Como Citar

DIAS DE CASTRO, L. L.; MADRID, I. M.; AGUIAR, C. L. G.; CASTRO, L. M. de; CLEFF, M. B.; BERNE, M. E. A.; LEIVAS LEITE, F. P. POTENCIAL OVICIDA DE Origanum vulgare (Lamiaceae) EM NEMATÓDEOS GASTRINTESTINAIS DE BOVINOS. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 14, n. 4, p. 508–513, 2013. DOI: 10.5216/cab.v14i4.22080. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/22080. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária