ÍNDICE DE PRENHEZ COM SÊMEN CONGELADO DE GARANHÕES DA RAÇA CRIOULA USANDO GLICEROL OU DIMETILFORMAMIDA COMO CRIOPROTETORES

Autores

  • Rodrigo Arruda Oliveira Universidade de Brasília
  • Mara Iolanda Batistella Rubin Embryolab - Universidade Federal de Santa Maria
  • Carlos Antonio Mondino Silva Embryolab - Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v14i4.18923

Palavras-chave:

amidas, criopreservação, equino, espermatozóides, inseminação artificial

Resumo

O índice de prenhez utilizando sêmen criopreservado de garanhões é variável e, além disso, algumas raças apresentam baixa congelabilidade. Foram inseminadas 104 éguas, divididas em dois experimentos, para avaliar a fertilidade do sêmen congelado de garanhões da raça Crioula (n=5), com 5% de dimetilformamida (DMF) ou 5% de glicerol (GLI), como crioprotetores. No Experimento I, as inseminações foram conduzidas pré-ovulação com sêmen fresco e criopreservado com DMF. No Experimento II, as éguas foram inseminadas pós-ovulação com sêmen fresco, DMF e GLI. As inseminações com sêmen congelado foram realizadas no ápice do corno uterino e as éguas do grupo controle foram inseminadas no corpo do útero com sêmen fresco. Para a avaliação  dos índices de prenhez dos grupos, utilizou-se um ciclo estral/animal. O diagnóstico de gestação foi realizado por meio de ultrassonografia transretal no 15o dia pós-ovulação. A motilidade média pós-descongelamento foi de 40% e 20%, respectivamente, para o sêmen congelado com DMF e GLI (P<0,05). Todos os garanhões tiveram motilidade superior no pós-descongelamento quando se utilizou a DMF. No Experimento I, o índice de prenhez foi de 12% (5/42) e 62% (20/32), respectivamente, para DMF e sêmen fresco (P<0,0001). No Experimento II, o índice de prenhez foi de 70% (7/10; P<0,05) para o sêmen fresco, 40% para o congelado com DMF (4/10; P<0,05) e 10% com GLI (1/10). A inseminação com sêmen congelado realizada com controle folicular mais frequente apresentou os melhores resultados. A baixa motilidade dos espermatozoides pós-descongelamento foi atribuída ao GLI utilizado no Experimento II. A DMF pode ser utilizada como uma alternativa ao congelamento do sêmen de garanhões da raça Crioula.

PALAVRAS-CHAVE: Criopreservação; crioprotetores; equino; espermatozoide; inseminação artificial.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Arruda Oliveira, Universidade de Brasília

Departamento de Anatomofisiologia e Reprodução - Faculdade de Agronomia e  Medicina Veterinária

Downloads

Publicado

2013-12-17

Como Citar

OLIVEIRA, R. A.; RUBIN, M. I. B.; SILVA, C. A. M. ÍNDICE DE PRENHEZ COM SÊMEN CONGELADO DE GARANHÕES DA RAÇA CRIOULA USANDO GLICEROL OU DIMETILFORMAMIDA COMO CRIOPROTETORES. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 14, n. 4, p. 488–494, 2013. DOI: 10.5216/cab.v14i4.18923. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/18923. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária