EPIDEMIOLOGIA DA INFECÇÃO PELO VÍRUS DA LEUCOSE ENZOÓTICA BOVINA (LEB)

Autores

  • José Wilton Pinheiro Junior Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Maria Evódia de Souza
  • Wagnner José N. Porto
  • Nair Silva C. Lira
  • Rinaldo Aparecido Mota

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v14i2.18255

Palavras-chave:

LEB, epidemiologia, diagnóstico

Resumo

Objetivou-se com este trabalho investigar a presença de anticorpos anti-vírus da leucose enzoótica além de identificar a associação entre variáveis de manejo e soropositividade para essa infecção em bovinos no Estado de Alagoas, Brasil. Foram examinados 17 rebanhos, perfazendo um total de 341 animais, distribuídos em oito municípios. A pesquisa de anticorpos foi efetuada pela técnica de Imunodifusão em Gel de Ágar (IDGA), utilizando-se o antígeno constituído por lipopolissacarídeos e proteínas do vírus da leucose bovina. Das 341 amostras analisadas, 95 (27,8%) foram positivas e o número de focos constatados foi de 12 (70,6%). Foram observadas diferenças significativas para as variáveis: assistência técnica (p<0,001), aquisição de gado recente (p=0,003), existência de piquete maternidade (p<0,001) e manejo de colostro (p<0,001). A infecção pelo vírus da leucose enzoótica bovina está presente na região estudada e medidas sanitárias rigorosas devem ser implementadas para controlar a disseminação do vírus, o que evitará perdas na cadeia produtiva da bovinocultura.

PALAVRAS-CHAVE: diagnóstico; epidemiologia; LEB.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Wilton Pinheiro Junior, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Maria Evódia de Souza

Wagnner José N. Porto

Nair Silva C. Lira

Rinaldo Aparecido Mota

Publicado

2013-06-27

Como Citar

PINHEIRO JUNIOR, J. W.; SOUZA, M. E. de; PORTO, W. J. N.; LIRA, N. S. C.; MOTA, R. A. EPIDEMIOLOGIA DA INFECÇÃO PELO VÍRUS DA LEUCOSE ENZOÓTICA BOVINA (LEB). Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 14, n. 2, p. 258–264, 2013. DOI: 10.5216/cab.v14i2.18255. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/18255. Acesso em: 2 mar. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária