PERFIL CITOLÓGICO VAGINAL DE OVELHAS DA RAÇA SANTA INÊS NO ACOMPANHAMENTO DO CICLO ESTRAL

Autores

  • Rhiane Rodrigues Macedo Porto UFT
  • Tânia Vasconcelos Cavalcante UFT
  • Francisca Elda Ferreira Dias UFT
  • Josefa Moreira do Nascimento Rocha UFT
  • José Adamir Torres de Souza UFPI

Palavras-chave:

Citologia, ovinos, reprodução

Resumo

O objetivo deste trabalho foi investigar o perfil citológico vaginal em ovelhas da raça Santa Inês, durante um ciclo estral completo. Selecionaram-se cinco fêmeas cíclicas criadas em sistema semi-intensivo, na Fazenda Pe-dras Santa em Araguaína, TO. Prepararam-se os esfregaços vaginais diariamente nas ovelhas cujo estro foi detectado por um rufião. Confeccionou-se um esfregaço vaginal por fêmea, em lâminas de vidro secas à temperatura ambiente e fixadas em álcool a 95%. Em seguida, foram coradas pelo método panótico rápido. As lâminas foram observadas ao microscópio óptico de luz com aumentos de 10 x e 40 x para contagem de 100 células por lâmina. Analisaram-se as características morfológicas e tintoriais das células epiteliais ao longo do ciclo estral, levando em consideração tanto as variáveis de cada fase do ciclo estral – proestro, estro, metaestro e diestro –, bem como os tipos celulares encon-trados – basal, parabasal, intermediária e anucleada. Os valores foram estudados por meio de ANOVA, ao nível de probabilidade de 5% pelo teste de Tukey. Na fase de estro, notou-se uma diferença do tipo celular superficial anucleada sobre os demais tipos (P<0,05). Concluiu-se que, através da citologia vaginal esfoliativa, podem-se diferenciar as fases do ciclo estral em ovelhas da raça Santa Inês.

PALAVRAS-CHAVES: Ciclo estral, citologia vaginal, epitélio vaginal, ovelhas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-09-15

Como Citar

PORTO, R. R. M.; CAVALCANTE, T. V.; DIAS, F. E. F.; ROCHA, J. M. do N.; SOUZA, J. A. T. de. PERFIL CITOLÓGICO VAGINAL DE OVELHAS DA RAÇA SANTA INÊS NO ACOMPANHAMENTO DO CICLO ESTRAL. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 8, n. 3, p. 521–528, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/1729. Acesso em: 7 jul. 2022.

Edição

Seção

Medicina Veterinária