RESISTÊNCIA DO LIGAMENTO DA CABEÇA DO OSSO FEMORAL EM CÃES

Autores

  • Enaura Cristina C. Rodrigues Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Marcelo Domingues de Faria Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Nelson Cárdenas Olivier Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Joaquim Pereira Neto Universidade Estadual da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.5216/cab.v13i4.17173

Palavras-chave:

ligamento da cabeça do osso femoral, resistência, cão.

Resumo

Com o número crescente de animais de companhia nos lares, o aumento de sua longevidade e, em muitos casos, a forma errônea de criá-los, aumentam, concomitantemente, diversas afecções, como as patologias articulares, gerando a demanda de estudos voltados às mesmas. O objetivo deste trabalho foi determinar a capacidade máxima de resistência do ligamento da cabeça do osso femoral em cães até sua ruptura, estabelecendo correlações entre cargas exercidas (kg), deslocamento das garras de extensão (mm) e variação do tempo (s) por meio de instrumentação eletrônica que proporciona mensuração de forças e controle do deslocamento. Foram utilizados 42 cães adultos, sem raça definida, com massa corporal variando entre 4,5 e 26 kg, eutanasiados pelo Centro de Controle de Zoonoses de Petrolina (PE). Inicialmente, promoveu-se somatometria, isolou-se a pelve dos animais, rebatendo estruturas adjacentes, evidenciando a articulação coxal. As peças foram divididas em dois hemicoxais, o osso femoral, fraturado no terço médio e a cápsula articular, rebatida para visualizar o ligamento da cabeça do osso femoral, que foi submetida ao ensaio mecânico destrutivo. Dos animais estudados, 08 apresentaram resistência óssea menor que a resistência ligamentosa, gerando fratura da cabeça do osso femoral em pelo menos um antímero. As dimensões e massa corpórea do indivíduo interferiram na resistência do ligamento da cabeça do osso femoral.  Nas fêmeas, o ligamento estudado apresentou resistência de 22kg ± 8,55kg no antímero direito e 21,18kg ± 8,45kg, no esquerdo. Nos machos foi de 21,76kg±9, kg no antímero direito e 23,55kg ± 9,06kg, no esquerdo. Este trabalho foi alvitrado com o propósito de gerar subsídio técnico-científico aos profissionais que atuam nas diversas áreas da medicina veterinária e engenharia médica para desenvolvimento de tecnologias na elaboração de materiais que sejam substitutivos dos tecidos naturais.
PALAVRAS-CHAVE: Canis familiaris; ligamento da cabeça do osso femoral; resistência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Enaura Cristina C. Rodrigues, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Colegiado Acadêmico de Medicina Veterinária, Laboratorio de Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres

Marcelo Domingues de Faria, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Colegiado Acadêmico de Medicina Veterinária, Laboratorio de Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres

Nelson Cárdenas Olivier, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Colegiado de Engenharia Mecânica.

Joaquim Pereira Neto, Universidade Estadual da Bahia

Estatística Experimental e Análise Multivariada.

Downloads

Publicado

2012-12-14

Como Citar

RODRIGUES, E. C. C.; DE FARIA, M. D.; OLIVIER, N. C.; NETO, J. P. RESISTÊNCIA DO LIGAMENTO DA CABEÇA DO OSSO FEMORAL EM CÃES. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 13, n. 4, p. 525–533, 2012. DOI: 10.5216/cab.v13i4.17173. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/17173. Acesso em: 22 fev. 2024.

Edição

Seção

Medicina Veterinária