UTILIZAÇÃO DO FARELO DE ARROZ EM RAÇÕES PARA POEDEIRAS COMERCIAIS FORMULADAS COM BASE EM AMINOÁCIDOS TOTAIS E DIGESTÍVEIS

Autores

  • Rosemeire da Silva Filardi FCAV/UNESP
  • Otto Mack Junqueira FCAV/UNESP
  • Antonio Carlos de Laurentiz FEIS/UNESP
  • Elenice Maria Casartelli FCAV/UNESP
  • Vinicius Assuena FCAV/UNESP
  • Jeanine Pileggi FCAV/UNESP
  • Karina Ferreira Duarte FCAV/UNESP

Palavras-chave:

Alimentação de aves, formulação de rações

Resumo

O experimento teve por objetivo avaliar o desem-penho, a qualidade e o custo de produção dos ovos de poe-deiras comerciais, alimentadas com rações contendo fare-lo de arroz e formuladas com base em aminoácidos totais e digestíveis. Empregaram-se 192 poedeiras da linhagem Lohmann LSL com 26 semanas de idade, distribuídas em um delineamento inteiramente ao acaso em esquema fato-rial 2 x 4 (duas recomendações de aminoácidos x 4 níveis de inclusão do farelo de arroz),  sendo utilizadas três repe-tições de oito aves por tratamento. Os tratamentos consis-tiram da combinação de duas recomendações de aminoá-cidos (totais ou digestíveis) e quatro níveis de inclusão do farelo de arroz (0 %, 5 %, 10 % e 15 %). Durante cinco ciclos de 28 dias, avaliaram-se parâmetros de desempenho e qualidade de ovos. As recomendações de aminoácidos digestíveis determinaram pior desempenho e maior cus-to de produção de ovos em relação às recomendações de aminoácidos totais. Os níveis de inclusão do farelo de ar-roz não afetaram de forma significativa o desempenho ou a qualidade dos ovos, entretanto acima de 6,0% de farelo de arroz ocorre aumento no custo de produção dos ovos, ficando a utilização desse ingrediente dependente da dis-ponibilidade e custo.

PALAVRAS-CHAVES: Alimento alternativo, desempenho, qualidade de ovos, recomendação de aminoácidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-09-12

Como Citar

FILARDI, R. da S.; JUNQUEIRA, O. M.; LAURENTIZ, A. C. de; CASARTELLI, E. M.; ASSUENA, V.; PILEGGI, J.; DUARTE, K. F. UTILIZAÇÃO DO FARELO DE ARROZ EM RAÇÕES PARA POEDEIRAS COMERCIAIS FORMULADAS COM BASE EM AMINOÁCIDOS TOTAIS E DIGESTÍVEIS. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 8, n. 3, p. 397–406, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/vet/article/view/1677. Acesso em: 7 jul. 2022.

Edição

Seção

Produção Animal