FONTES DE ADUBAÇÃO ORGÂNICA EM PLANTAS DE AMENDOIM (Arachis hypogaea L.) CV. BR1. DOI: 10.5216/teri.v5i2.38738

Autores

  • Yara Sabrina Alves LEITE Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Catolé do Rocha
  • Mário Leno Martins VÉRAS Agronomia, Universidade Federal da Paraíba (UFPB),
  • José Sebastião de MELO FILHO Sistemas Agroindustriais, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG),
  • Urandy Alves de MELO Ciências Agrárias, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Catolé do Rocha – PB.
  • Fabiana Xavier COSTA Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Catolé do Rocha – PB.

DOI:

https://doi.org/10.5216/teri.v5i2.38738

Palavras-chave:

Oleaginosa, fitomassa, torta de mamona, esterco caprino

Resumo

Objetivou-se com esta pesquisa estudar fontes de adubação orgânica em plantas de amendoim (Arachis hypogaea L.) cv. Br1. O ensaio foi conduzido em campo localizado na Universidade Estadual da Paraíba - UEPB, Campus – IV. Foi adotado o delineamento blocos ao acaso, no fatorial 4 x 2, com 8 tratamentos, com quatro quantidades de adubação orgânica: (0, 2, 4 e 6 t/ha-¹) e duas fontes de adubação orgânica: (F1 = torta de mamona e F2 = esterco caprino), com quatro repetições, totalizando 32 unidades experimentais. Verifica-se que houve efeito significativo a nível de p<0,01 de probabilidade para o peso seco da raiz, peso seco do caule, peso seco da folha e peso seco total quando submetido as quantidades de adubação orgânica. Para as fontes de adubação orgânica, contata-se que o peso seco da folha e peso seco total responderam significativamente a nível de p<0,01 e o peso seco do caule a nível de p<0,05, não sendo observada resposta significativa para o peso seco da raiz. As plantas de amendoim cultivadas com maior quantidade de adubação orgânica se destacaram em relação àquelas cultivadas com menores quantidades. Enquanto que o uso de esterco caprino obteve os maiores valores em todas as variáveis estudadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yara Sabrina Alves LEITE, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Catolé do Rocha

Graduanda em Licenciatura em Ciências Agrárias, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Catolé do Rocha – PB. E-mail: yarasabrina_al@hotmail.com

Mário Leno Martins VÉRAS, Agronomia, Universidade Federal da Paraíba (UFPB),

[1] Mestrando em Agronomia, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Areia – PB. E-mail: mario.deus1992@bol.com.br

José Sebastião de MELO FILHO, Sistemas Agroindustriais, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG),

Mestre em Sistemas Agroindustriais, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Pombal – PB. E-mail: sebastiaouepb@yahoo.com.br

Urandy Alves de MELO, Ciências Agrárias, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Catolé do Rocha – PB.

Graduação em Licenciatura em Ciências Agrárias, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Catolé do Rocha – PB. E-mail: urandyuepb@yahoo.com.br

Fabiana Xavier COSTA, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Catolé do Rocha – PB.

Prof. Dra.  da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Catolé do Rocha – PB.

E-mail: fabyxavierster@gmail.com

Downloads

Publicado

2015-11-30

Como Citar

LEITE, Y. S. A.; VÉRAS, M. L. M.; MELO FILHO, J. S. de; MELO, U. A. de; COSTA, F. X. FONTES DE ADUBAÇÃO ORGÂNICA EM PLANTAS DE AMENDOIM (Arachis hypogaea L.) CV. BR1. DOI: 10.5216/teri.v5i2.38738. Revista Terceiro Incluído, Goiânia, v. 5, n. 2, p. 91–100, 2015. DOI: 10.5216/teri.v5i2.38738. Disponível em: https://revistas.ufg.br/teri/article/view/38738. Acesso em: 23 maio. 2024.