SISTEMAS DE CULTIVOS, AMBIENTE E SAÚDE - DOI: 10.5216/teri.v3i2.29797

Autores

  • Isaura Isabel CONTE Doutoranda em Educação - UFRGS
  • Franciéli Aline CONTE Universidade Regional do Noroeste do Rio Grande do Sul UNIJUI Faculdade de Nutrição

DOI:

https://doi.org/10.5216/teri.v3i2.29797

Palavras-chave:

sistemas de produção, alimentos, ambiente, agrotóxicos, saúde

Resumo

Este texto aborda os sistemas de produção convencional, transgênico, agroecológico e orgânico, apresentando diferenças entre um e outro, e, para tanto, parte-se de estudos teóricos e de acompanhamento de debates feitos pela Via Campesina/(Rio Grande do Sul, Brasil) nos últimos três anos. Questiona-se sobre o uso dos transgênicos e também da chamada produção convencional à base de agrotóxicos e químicos industriais, fazendo relação com os aspectos nutricionais dos alimentos produzidos e alguns impactos sobre o ambiente. Outra abordagem é relacionada com a falta de políticas para a agroecologia no Brasil ao longo dos tempos, o descumprimento das leis e a não fiscalização sobre os agrotóxicos e os transgênicos deixando a população desassistida e com poucas possibilidades de enfrentar a situação tanto no campo quanto na cidade. Considera-se que a efetivação das políticas (recentes) para a agroecologia é um enorme desafio no Brasil e implica em ir negando e substituindo o chamado modelo convencional de produção para possibilitar maior escala de produção e disponibilização de alimentos saudáveis para as populações em geral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isaura Isabel CONTE, Doutoranda em Educação - UFRGS

Doutoranda em Educação pela UFRGS, Mestra em Educação nas ciências pela Universidade Regional do Noroeste do Rio Grande do Sul - UNIJUI

Franciéli Aline CONTE, Universidade Regional do Noroeste do Rio Grande do Sul UNIJUI Faculdade de Nutrição

Tem experiência na área de Nutrição, com ênfase em Nutrição, atuando principalmente no seguinte tema: envelhecimento, exclusão, cuidado

Referências

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE AGROECOLOGIA. Disponível em: http://aba-agroecologia.org.br/wordpress/?page_id=44. Acesso em 22 abr. 2014.

ABRASCO; Dossiê ABRASCO: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. Abrasco: Rio de Janeiro, 2012.

ANDRIOLI, Antônio Inácio; FUCHS, Richard. Transgênicos: as sementes do mal. A silenciosa contaminação de solos e alimentos. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

BRASIL. Decreto 24680 de 24 de abril de 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2003/d4680.htm>. Acesso em: 10 jul. 2013.

BRASIL. LEI No 10.831, DE 23 de dezembro de 2003. Disponível em:> http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.831.htm.< Acesso em: 10 jul. 2013.

BRITO, Paula Fernandes de; GOMIDE, Márcia; CÂMARA, Volney de Magalhães. Agrotóxicos e saúde: realidade e desafios para mudança de práticas na agricultura. Physis, vol.19 n.1, Rio de Janeiro, 2009. Disponível em:> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312009000100011> Acesso em: 23 abr. 2014.

CAPORAL, Francisco Roberto; COSTABEBER, José Antônio. Agroecologia:

alguns conceitos e princípios. Brasília: MDA/SAF/DATER-IICA, 2004. Disponível em:< http://agroeco.org/socla/wp-content/uploads/2013/11/Agroecologia-Conceitos-e-princpios1.pdf> Acesso em: 28, abr. 2014.

CARNEIRO, Maria José. De “produtor” a “consumidor”: mudanças sociais e hábitos alimentares. In: NEVES, D. P. (Org.). Processos de constituição e reprodução do campesinato no Brasil. Formas dirigidas de constituição do campesinato. Vol II. São Paulo: Unesp e Nead, 2009. p. 151-172.

CONTE, Isaura Isabel. Agricultura familiar e camponesa e a agroecologia. In: CAMP. Caderno de educação popular e direitos humanos. Porto Alegre: Camp, 2013. p. 55-58.

CONWAY, Gordon. Produção de alimentos no século XXI. Biotecnologia e meio ambiente. Tradução de Celso Mauro Paciornik. São Paulo: Estação Liberdade, 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 32. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FUCK, Marcos Paulo; BONACELLI, Maria Beatriz. Sementes geneticamente modificadas: (in)segurança e racionalidade na adoção de transgênicos no Brasil e na Argentina. Revista CTS, nº 12, vol. 4, Abril de 2009.

GALEANO, Eduardo. As veias abertas da América Latina. Tradução de Galeano de Freitas. 33. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1991.

GRISÓLIA, Cesar Koppe. Agrotóxicos: mutações, câncer e reprodução. Brasília: UnB- DF, 2005.

GUERRANTE, Rafaela Di Sabato. Transgênicos: Uma visão estratégica. Rio de Janeiro: Interciência, 2003.

GUANZIROLI, Carlos; Marco Ortega BERNGER. Experiências bem - sucedidas em agronegócio no Brasil e desenvolvimento sustentável. Brasília: IICA, 2010.

LEAL, Marco Antonio de A; GUERRA, José Guilherme M; PEIXOTO, Ricardo TG; ALMEIDA, Dejair de. Utilização de compostos orgânicos como substratos na produção de mudas de hortaliças. Horticultura Brasileira, 2007.

LIMA, Elinete Eliete de; SOUSA, Anete Araújo de. Alimentos orgânicos na produção de refeições escolares: limites e possibilidades em uma escola pública em Florianópolis. Campinas: Revista de Nutrição, n. 24, v. 2, 2011.

MAESTRI, Mário Filho. Uma história do Rio Grande do Sul. 2. ed. Passo Fundo: UPF, 2000.

MAGALHÃES, Hilton M. Farmacologia Veterinária: Temas Escolhidos. Guaíba: Agropecuária, 1998.

MELO, Hildete Pereira; SABBATO, Alberto Di. Gênero e trabalho rural. In: BUTTO, Andrea (Org). Estatísticas rurais e a economia feminista. Um olhar sobre o trabalho das mulheres. Brasília: MDA, 2009. p. 32-121.

MENACHE, Renata; MARQUES, Flávia. C.; ZANETTI, Cândida. “Autoconsumo e segurança alimentar: a agricultura familiar a partir dos saberes e práticas da alimentação”. Revista Nutrição. V. 21. p. 145-158, 2008.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVOLVIMENTO AGRÁRIO. Agricultura familiar no Brasil e o censo agropecuário de 2006. Brasília: MDA, 2009.

PLOEG, Jan. Douwe. Van Der. Camponeses e impérios alimentares: lutas por autonomia e sustentabilidade na era da globalização. Tradução de Rita Pereira. Porto Alegre: Ufrgs, 2008.

POLÍTICA NACIONAL DE AGROECOLOGIA E PRODUÇÃO ORGÂNICA. Decreto n. 7.794, de 20 de agosto de 2012.

POLLAN, Michel. O dilema do onívoro: uma história natural de quatro refeições. Tradução de Cláudio Figueiredo. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2007.

QUEIROZ, Maria Isaura de. Uma categoria rural esquecida (1963). In: WELCH, Clifford Andrew; MALAGODI, Edgard; CAVALCANTI, Josefa; WANDERLEY, Maria Nazareth (Orgs.). Camponeses brasileiros. Leituras e interpretações clássicas. São Paulo: Unesp e Nead, 2009. p. 57-72.

REDE ECOVIDA. Disponível em: . Acesso em: 30 dez. 2012.

RIBEIRO. Silvia. Camponeses, biodiversidade e novas formas de privatização. In: CARVALHO, H. M. de. Sementes: Patrimônio dos povos a serviço da humanidade. São Paulo: Expressão Popular, 2003. p.51-72.

RUBIO, Blanca. Explotados y excluídos. Los campesinos latinoamericanos en la fase agroexportadora neoliberal. México: Plaza y Valdez, 2001.

VELHO, Otávio Guilherme. Capitalismo autoritário e campesinato. Um estudo comparativo a partir da fronteira em movimento. 2. ed. São Paulo e Rio de Janeiro: Difel, 1979.

Downloads

Publicado

2013-12-31

Como Citar

CONTE, I. I.; CONTE, F. A. SISTEMAS DE CULTIVOS, AMBIENTE E SAÚDE - DOI: 10.5216/teri.v3i2.29797. Revista Terceiro Incluído, Goiânia, v. 3, n. 2, p. 40–56, 2013. DOI: 10.5216/teri.v3i2.29797. Disponível em: https://revistas.ufg.br/teri/article/view/29797. Acesso em: 28 maio. 2024.