A HISTORIOGRAFIA COMO TEMÁTICA NO DEALBAR DA REVISTA LER HISTÓRIA DURANTE OS ANOS 80: SUBSÍDIOS PARA UMA ANÁLISE DE CONTEÚDOS

Autores

  • Nuno Bessa Moreira Universidade do Porto

Palavras-chave:

Ler História, periódicos, Historiografia, iam Halpern Pereira, depoimentos

Resumo

Este estudo debruça-se sobre os primeiros anos da revista Ler História, durante a década de 1980, dirigida por Miriam Halpern Pereira. Trata-se de um periódico democrático, pluralista, que repercute as inquietações e anseios da época em que foi criado. Durante o período em estudo foi dirigido por Miriam Halpern Pereira, estando umbilicalmente ligado ao ISCTE, mas sempre editado comercialmente nos anos em análise, primeiro pela editora Regra do Jogo e depois pela Salamandra e pela Teorema. Tinha uma periodicidade trimestral e várias secções, como a de Estudos, a de Críticas e Debates e a de Recensões, mas também de Documentos, sem esquecer, a partir de determinado momento, O Espelho de Clio, onde foram reunidos, entre 1988 e 1989, dezassete testemunhos de historiadores, estudados na segunda parte deste trabalho, dado que a primeira concretiza uma análise de conteúdos da história da historiografia e da reflexão teórica como temas abordados na publicação durante os anos 70 do século 20. 

Biografia do Autor

Nuno Bessa Moreira, Universidade do Porto

Nuno Bessa Moreira é investigador na área de história da historiografia. A sua formação está umbilical e inquestionavelmente ligada à Faculdade de Letras do Porto e ao respectivo curso de História. Este testemunho emocional é passível de ser inadequado ou exageradamente pessoal. Todavia, podem poupar-se adjectivos, dispensar-se advérbios, isentando-se esta exposição de metáforas. Nenhum destes exercícios subtrai ou muito menos anula a experiência vivida nos planos formativo e informativo. Também as vertentes inerentes a qualidades de cariz humanista necessitam de um acervo de conhecimentos, adquirido em permanência. A convergência das duas dimensões foi sempre uma marca das aulas ministradas pelos professores do Departamento de História. A investigação doutoral deste investigador decorreu sob o prisma da história da historiografia, domínio que indaga as condições espácio-temporais e socioculturais das biografias dos historiadores, bem como das suas práticas, discursos e representações. Acresce que este cultor de Clio realizou uma tese de mestrado em História Moderna, situação que atesta a amplitude cronológica dos seus interesses historiográficos. Para além de experiências profissionais como professor do Ensino Secundário é autor de múltiplos artigos (indexados e não indexados) e participou igualmente em vários eventos (conferências e congressos) com comunicações subordinadas às áreas aludidas. É também membro do CITCEM - FLUP desde 2007. Em 2014 foi-lhe atribuído um prémio de investigação pelo CIJVS (Centro de Investigação Professor Doutor Veríssimo Serrão). Em Novembro de 2017 foi Agraciado com a Medalha Amigo da Marinha Brasileira, por indicação do Doutor Artur Victoria.

Referências

ALBUQUERQUE, Luís de. Gago Coutinho, historiador. Ler História, vol. 11, p. 135-142, 1987.

ALBUQUERQUE, Luís. Depoimento. Ler História, vol. 14, p. 130-131, 1988.

AZEVEDO, Átio Lobo de. Calor e secura»: elementos climáticos da agricultura portuguesa. Ler História, vol. 13, p. 135-138, 1988.

BARRETO, Luís Filipe. Recensão a Como se Escreve a História, de Paul Veyne. Ler História. Lisboa, vol. 4, p. 177-179, 1985.

CABRAL, Manuel Villaverde. Depoimento. Ler História, vol. 17, p 142-145, 1989.

CASTRO, Armando de. Depoimento. Ler História, vol. 15, p. 159-162, 1989.

COELHO, António Borges. Ler História, vol. 15, p. 157- 159, 1989.

CORTESÂO, Maria José Heitor. A disciplina de história no contexto da reforma educativa. Ler História, vol. 14, p. 141, 142, 1988.

FRANÇA, José- Augusto. Depoimento. Ler História, vol. 14, p.128-130, 1988.

GUERREIRO, Luís Ramalhosa, Recensão a O Mediterrâneo e o mundo Mediterrâneo na época de Filipe II. Ler História, vol. 5, p. 1985.

GUIMARÃES, António Mesquita, A Disiciplina de História e a formação integral do professor. Ler História, vol. 14, p. 144-145, 1988.

HESPANHA, António Manuel. História e sistema. Interrogações à Historiografia Pós-moderna, Ler História, vol.9, p. 1986.

HESPANHA, António Manuel. Depoimento. Ler História, vol. 16, 1989.

KRUS, Luís. Marc Bloch (1886-1944), Apresentação. Ler História, vol. 9, p. 123, 1986.

LISBOA, João Luís. Sobre o papel da história na formação de professores. Ler História, vol. 14, p. 138-141, 1988.

MANIQUE, António Pedro. O lugar e o papel da História na formação de professores da escolaridade básica, Ler História, vol. 14, p. 135-138, 1988.

MARQUES, A. H. de Oliveira. Depoimento, Ler História, vol.14, p. 16-127, 1988.

MATTOSO, José. Depoimento. Ler História, vol. 17, p. 140-142, 1989.

MAURÍCIO, Carlos Coelho. Quando a historiografia interroga o seu passado- a história dos Annales. Ler História, vol. 7, p. 1986.

MAURÍCIO, Carlos Coelho. Recensão a Storia della Storiografia. Ler História, vol. 7, p. 176179, 1986.

MEDEIROS, Carlos Alberto. Orlando Ribeiro: Um Marco indelével na Geografia Portuguesa. Ler História, vol, 13, p. 131-134, 1988.

MEDEIROS, Carlos Alberto. Orlando Ribeiro: Um Marco indelével na Geografia Portuguesa. Ler História, vol, 13, p. 131-134, 1988.

MIRANDA, Sacuntala de. Depoimento. Ler História, vol. 17, p. 149-151, 1989.

MÓNICA, Maria Filomena. Depoimento. Ler História, vol. 16, 1989.

NUNES, João Paulo Avelãs. O Estado, a Historiografia e Outras Ciências/Tecnologias sociais, in Historiografias Portuguesa e Brasileira no século XX Olhares Cruzados, João Paulo Avelãs Nunes e Américo Freire (coordenação), Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra e Fundação Getúlio Vargas, p. 53-79, 2013.

OLIVEIRA, Ernesto Veiga. Orlando Ribeiro e a Etnologia. Ler História, vol. 13, p. 138-142, 1988.

PEREIRA, José Esteves. Depoimento. Ler História, p.162-163, 1989.

PEREIRA, Miriam Halpern. Editorial. Ler História. Lisboa, vol. 1, p. 3-4, 1983.

Pereira, Miriam Halpern Marc Bloch e a Historiografia Portuguesa, Ler História, volume 9, p. 124, 1986.

PEREIRA, Miriam Halpern. Depoimento. Ler História, vol. 16, p. 145-148, 1989.

PINTO, António Costa; Monteiro, Nuno Gonçalo. História e Política. Ler História. Lisboa, vol. 2, p. 178-185, 1983.

REIS, Filipe. Recensão a Como se escreve a História, de José Mattoso. Ler História, vol. 18, 1990. SÁ, Víctor de. Depoimento, Ler História, vol. 14, p. 131-132, 1988.

SERRA, ANA. ESE: desvalorização do ensino preparatório? Ler História, vol.14, p. 142-143, 1988.

SERRÃO, Joaquim Veríssimo. Depoimento. Ler História, vol. 16, p. 138-141, 1989.

SILVA, Carlos da. Pensar em Marc Bloch Considerando o problema agrário português. Ler História, vol. 9, p 127-129, 1986.

SILVA, Maria Beatriz Nizza da. Depoimento. Ler História, vol. 15, p. 163-165, 1989

SUBTIL, José. A Formação de professores nas Escola Superiores de Educação e a disciplina de História, Ler História, vol. 12, p. 128, 1988.

TAVARES, Maria José Ferro. Marc Bloch, O Historiador da Moeda, Ler História, vol. 9, p. 125127, 1986.

Teixeira, Nuno Severiano. Recensão a L‘ordre du temps. Krzystof Pomian, Paris, Ed Galimmard, 1984, 365. Ler História, vol. 10, p.187-191, 1987.

TEIXEIRA, Nuno Severiano. A História Política na Historiografia Contemporânea, Ler História, vol. 13, p. 77-102, 1988.

TORGAL, Luís Reis. Depoimento. Ler História, vol. 16, p. 141-143, 1989.

VICENTE, ANTÓNIO Pedro. Depoimento. Ler História, vol. 17, p. 137-139, 1989.

Downloads

Publicado

2018-07-07

Como Citar

MOREIRA, N. B. A HISTORIOGRAFIA COMO TEMÁTICA NO DEALBAR DA REVISTA LER HISTÓRIA DURANTE OS ANOS 80: SUBSÍDIOS PARA UMA ANÁLISE DE CONTEÚDOS . rth |, Goiânia, v. 19, n. 1, p. 193–226, 2018. Disponível em: https://revistas.ufg.br/teoria/article/view/53774. Acesso em: 20 maio. 2022.