TEMPO E HISTORICIDADE NA FILOSOFIA, CIÊNCIA E TEORIA DA HISTÓRIA: ENTREVISTA COM SILVIA CAIANIELLO

Autores

  • Francesco Guerra
  • Murilo Gonçalves

Palavras-chave:

Droysen, Teoria da História, Ciência da História

Resumo

Silvia Caianiello é Pesquisadora Sênior do Istituto per la Storia del Pensiero Filosofico e Scientifico Moderno (ISPF), uma instituição de pesquisa do Consiglio Nazionale delle Ricerche. Foi Professora Visitante no Max-Planck-Institut für Wissenschaftsgeschichte, em Berlim, e na École des Hautes Etudes en Sciences Sociales, em Paris. Atualmente trabalha com temas relacionados à História e Epistemologia das Ciências Naturais, História da Filosofia, Filosofia e Epistemologia da História e às interações entre Ciências Humanas e Ciências da Natureza.

A entrevista deu-se em ocasião de sua primeira visita ao Brasil, durante o final do mês de setembro de 2016, enquanto participava do Ciclo de Conferências: História da Historiografia, organizado pelo PPGH-UFG. Foi concedida em italiano, transcrita, traduzida e editada. Os temas foram diversos e abrangentes e servem sobretudo como invitação para o conhecimento da obra da autora (livros e dezenas de artigos), ainda não traduzida para o português. Dentre os temas, destacam-se a intrínseca relação entre história, filosofia e ciência, o problema da temporalidade, a relação com Johann Gustav Droysen (cuja Historik traduziu para o italiano), o conceito de historicismo, o desenvolvimento historiográfico na Itália, a situação da pesquisa científica no país e os desafios que envolvem a prática da tradução.

Biografia do Autor

Francesco Guerra

Possui doutorado em Discipline filosofiche - Universitá di Pisa (2010). Este doutorado foi reconhecido, no 2017, como doutorado em História na Faculdade de História daUniversidade Federal de Goiás. Atualmente é pós-doutorando (PNPD-PPGH Capes) na Faculdade de História da Universidade Federal de Goiás. Tem experiência na área deHistória, com ênfase em Teoria e Metodologia da História e História Política alemã do século XIX e XX. Título do projeto de pesquisa: "Droysen, Meinecke e a questão doMachtstaat (Estado de potência)". Além desse projeto de pesquisa, no último ano desenvolveu dois novos projetos de pesquisa: 1) "Máfias, estudo de casos, historiografia damáfia, comportamento social, aspectos jurídicos" sobre as máfias entre a Itália, a Europa e as Américas e 2) "Da tribunalização da política à tribunalização da história:emergências do tempo presente" sobre a judicialização da política e conseqüentemente da história nas últimas décadas, sobretudo na Itália e no Brasil. Uma questão quepode se ligar também à afirmação de modelos políticos populistas, de direita como de esquerda, tanto na Europa (Itália, Hungria, etc.) quanto nas Américas (EUA, Brasil,México, etc.).

Murilo Gonçalves

Possui graduação e mestrado em História pela Universidade Federal de Goiás e é doutorando pela mesma instituição, com atuação na linha de pesquisa "Ideias, saberes e escritas da (e na) história". Em 2014, realizou, durante dois semestres, graduação sanduíche na Katholische Universität Eichstätt-Ingolstadt (Alemanha). Em 2016, durante o mestrado (a respeito da teoria da história de Raymond Aron), realizou pesquisas complementares no Centre d'Études Sociologiques et Politiques Raymond-Aron da École des Hautes Études en Sciences Sociales (Paris, França). Atualmente realiza estágio de pesquisa doutoral (PDSE) na Freie Universität Berlin (Alemanha). Trabalha com as questões relativas à possibilidade de uma hermenêutica digital. Possui interesse por teoria da história a partir dos seguintes temas: hermenêutica, epistemologia, estética, e subjetividade. Faz parte do corpo da Revista de Teoria da História da Faculdade de História e do Programa de Pós-Graduação em História da UFG.

Downloads

Publicado

27-07-2017

Como Citar

Guerra, F., & Gonçalves, M. (2017). TEMPO E HISTORICIDADE NA FILOSOFIA, CIÊNCIA E TEORIA DA HISTÓRIA: ENTREVISTA COM SILVIA CAIANIELLO. Rth |, 17(1), 361–377. Recuperado de https://revistas.ufg.br/teoria/article/view/48051