A A CONSTRUÇÃO DO GRAU DE EVIDÊNCIA DA AÇÃO SUBJETIVAMENTE VISADA CONCEBIDA INTELECTUALMENTE POR MEIO DOS PADRÕES TEÓRICOS DE DELIBERAÇÃO NA METODOLOGIA WEBERIANA

Autores

  • Henrique Florentino Faria Custódio UFMG

Palavras-chave:

Compreensão. Deliberação. Evidência. Interpretação. Tipo Ideal

Resumo

O propósito deste artigo é analisar sobre a maneira pela qual, na metodologia weberiana, o grau de evidência poderá ser construído por meio dos padrões teóricos de deliberação imputados idealmente à ação subjetivamente visada pelo agente. Para Max Weber, a evidência da interpretação é baseada em procedimentos lógico-metodológicos que permitem ao cientista conceber conexões de sentido na ação empírica do agente. Portanto, será mediante certa caracterização promovida pelo pesquisador, a partir dos dados da pesquisa, que se produzirá em pensamento a evidência da interpretação. Assim, o grau de evidência, metodologicamente, é construído a partir de padrões teóricos de deliberação concebidos idealmente como meios auxiliares puramente lógicos, utilizados para o isolamento e ordenamento conceitual de um fragmento da complexidade do empírico. Em vista disso, examinaremos como, na metodologia weberiana, a interpretação da ação do agente torna-se possível, se for feita uma referência explícita ao sentido visado da ação.

Biografia do Autor

Henrique Florentino Faria Custódio, UFMG

Possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia (2007), mestrado em Filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia (2012). Atualmente doutorando em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2016). Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Epistemologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Max Weber, metodologia, tipo ideal, possibilidade objetiva e regras de experiência.

Referências

COHN, Gabriel. Alguns problemas conceituais e de tradução em Economia e sociedade. In: WEBER, Max. Economia e sociedade: fundamentos da Sociologia compreensiva. Tradução de Regis Barbosa e Karen Elsabe Barbosa; revisão técnica de Gabriel Cohn. Brasília, DF: Editora Universidade de Brasília, 1991. v. 1. p. xiii -xv.

____________. Crítica e resignação: Max Weber e a teoria social. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

HOUAISS, Antônio e VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa.Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

NOBRE, Renarde Freire. Perspectivas da razão: Nietzsche, Weber e o conhecimento. Belo Horizonte: Argvmentvm Editora, 2004.

SENEDA, Marcos César. Max Weber e o problema da evidência e da validade nas ciências empíricas da ação. Campinas: Ed. da Unicamp, 2008.

SWEDBERG, Richard. The Max Weber Dictionary: key words and central concepts. Stanford: Stanford University Press, 2005.

WEBER, Max. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. Tradução de Regis Barbosa e Karen Elsabe Barbosa; revisão técnica de Gabriel Cohn. Brasília, DF: Editora Universidade de Brasília, 1991. v. 1.

____________. Ensayos sobre metodología sociológica.Tradução de José Luis Etcheverry. Buenos Aires: Amorrortu editores, 1973.

____________. Gesammelte Aufsätze zur Wissenschaftslehre. 6., erneut durchgesehene Aufl., hrsg. von Johannes Winckelmann. Tübingen: Mohr, 1985.

____________. Wirtschaft und Gesellschaft: Grundriss der verstehenden Soziologie. Besorgt von Johannes Winckelmann. 5., rev. Aufl., Studienausg. Tübingen: Mohr, 1980.

Downloads

Publicado

2017-02-13

Como Citar

CUSTÓDIO, H. F. F. A A CONSTRUÇÃO DO GRAU DE EVIDÊNCIA DA AÇÃO SUBJETIVAMENTE VISADA CONCEBIDA INTELECTUALMENTE POR MEIO DOS PADRÕES TEÓRICOS DE DELIBERAÇÃO NA METODOLOGIA WEBERIANA. rth |, Goiânia, v. 16, n. 2, p. 116–132, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/teoria/article/view/44813. Acesso em: 4 out. 2022.

Edição

Seção

Max Weber