O animal estético e político em “Carta a uma senhorita em Paris”, de Julio Cortázar

Autores

  • Hiandro Bastos da Silva Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), Fátima, Santarém, Pará, Brasil. E-mail: hiandrobastos@hotmail.com https://orcid.org/0000-0003-3078-7492
  • Lauro Roberto do Carmo Figueira Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), Fátima, Santarém, Pará, Brasil. E-mail: laurocf@yahoo.com.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v33.69208

Palavras-chave:

Animal. Homem. Biopolítica. Julio Cortázar.

Resumo

Este estudo investiga a presença do animal no conto Carta a uma senhorita em Paris (1951), de Julio Cortázar. Por meio de uma perspectiva biopolítica, proposta por Giorgio Agamben, estabeleceu-se um paralelo entre a dominação do não humano na cultura ocidental e a dominação do humano no registro contemporâneo – debate instalado nesta narrativa. Destarte, apuram-se potências virtuais no animal cortaziano, com fundamentação em Gabriel Giorgi, entre outros autores, que assediam as estruturas opressivas da realidade factual, reconfigurando as concepções de humanidade e animalidade para se alcançar novas economias de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lauro Roberto do Carmo Figueira , Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), Fátima, Santarém, Pará, Brasil. E-mail: laurocf@yahoo.com.br

Possui graduação em Licenciatura Plena em Letras - Língua Portuguesa, pela Universidade Federal do Pará (1991); mestrado em Teoria Literária, pela Universidade Federal do Pará (1998); e doutorado em Literatura pela Universidade do Porto, Portugal (2007, com revalidação pela Universidade Federal de Santa Catarina, 2008). Esteve por um ano (2015/2016) desenvolvendo pesquisa pelo Programa de Estágio Pós-doutoral, financiado pela CAPES, na Universidade de Coimbra(Portugal), com pesquisa sobre o ensino da Literatura no Ensino Secundário (Portugal) e no Ensino Médio (Brasil). Atualmente, é Professor Associado da Universidade Federal do Oeste do Pará. Tem experiência na área de Letras, na graduação e pós-graduação (PROFLETRAS), com ênfase em ensino da Literatura e Teoria Literária, atuando principalmente nos seguintes temas: Literatura Brasileira, Literatura Portuguesa, Crítica Literária, Literatura na América Latina, Literatura de expressão Amazônica, Literatura Fantástica, Real Maravilhoso. Pesquisa com destaque na ficção de Inglês de Sousa e na crítica e ficção de José Veríssimo. Coordena projeto de pesquisa relativo ensino da Literatura e coordenou dois Projetos de Ensino relacionados a atividades de docência de Ensino da Literatura e da Língua Portuguesa (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), com bolsistas acadêmicos e professores do Ensino e Médio. Possui experiências administrativas, sendo, em duas ocasiões, coordenador do curso de Letras (UFPA/campus de Santarém e UFOPA/Santarém).

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Meios sem fim: notas sobre a política. Belo Horizonte: Autêntica, 2015. ______. O aberto: o homem e o animal. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

ARREOLA, Juan Jose. Confabulário. Curitiba: Arte & Letra, 2015.

BENEDETTO, Antonio Di. Mundo animal e outros contos. Porto Alegre: Editora Globo, 2008.

COPI. La cité des rats. Paris: Belfond, 1979. CORTÁZAR, Julio. Bestiário. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

DERRIDA, Jacques. O animal que logo sou. São Paulo: Unesp, 2002.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade: A vontade de saber. Rio de Janeiro: Gallimard, 1988. v. 1 ______. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

GIORGI, Gabriel. Formas comuns: animalidade, literatura e biopolítica. Rio de Janeiro: Rocco, 2016.

MACIEL, Maria Esther. Literatura e animalidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

MONTERROSO, Augusto. A ovelha negra e outras fábulas. São Paulo: Cosac & Naify, 2014.

ROAS, David. A ameaça do fantástico. São Paulo: Unesp, 2013. TODOROV, Tzvetan. Introdução à literatura fantástica. São Paulo: Perspectiva, 2007.

Downloads

Publicado

2022-02-03

Como Citar

SILVA, H. B. da; FIGUEIRA , L. R. . do C. . O animal estético e político em “Carta a uma senhorita em Paris”, de Julio Cortázar. Signótica, Goiânia, v. 33, 2022. DOI: 10.5216/sig.v33.69208. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/69208. Acesso em: 7 jul. 2022.

Edição

Seção

Dossiê de Estudos Literários