Perfil sociolinguístico dos surdos de São Carlos: o bilinguismo bimodal Libras/ língua portuguesa

Autores

  • Cássio Florêncio Rubio Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos, SP, Brasil. E-mail: cassiorubio@ufscar.br https://orcid.org/0000-0002-6986-1381
  • Joyce Cristina Souza Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos, SP, Brasil. E-mail: joyce.souza@ufscar.br https://orcid.org/0000-0002-9055-6816

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v33.68412

Palavras-chave:

Perfil sociolinguístico. Avaliação linguística. Libras. Surdo. Bilinguismo bimodal.

Resumo

A presente pesquisa objetiva apresentar uma caraterização sociolinguística da comunidade surda da cidade de São Carlos. Para a análise de 30 inquéritos, aplicados aos surdos do município localizado na região Central do Estado de São Paulo, empregamos os pressupostos teóricos da Sociolinguística (LABOV, 1966, 2008) e da Sociolinguística das línguas de sinais (LUCAS, 2004). Os resultados apontam contexto de bilinguismo bimodal, com a língua portuguesa exercendo papel importante na comunicação e apresentando status elevado na comunidade, apesar de constituir-se em língua de emprego apenas na modalidade escrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cássio Florêncio Rubio, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos, SP, Brasil. E-mail: cassiorubio@ufscar.br

Professor Adjunto III do Instituto de Humanidades e Letras e do Mestrado Acadêmico em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis da Unilab.

Referências

AGUILERA, V. A.; BUSSE, S. Contato linguístico e bilinguismo: algumas reflexões para o estudo do fenômeno da variação linguística. Línguas & Letras; v. 9, n. 16, 2018, p. 11-25. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/view/1704. Acesso em: 12 jan. 2020.

BOURDIEU, P. L’économie des échanges linguistiques. Langue française, n. 34, 1977. Linguistique et sociolinguistique, sous la direction de Pierre Encrevé. p. 17-34. Disponível em: https://www.persee.fr/docAsPDF/lfr_0023-8368_1977_num_34_1_4815.pdf. Acesso em: 12 jan. 2020.

BRASIL. Relatório do Grupo de Trabalho designado por Portaria Ministerial para elencar subsídios à Política Linguística de Educação Bilíngue – Língua Brasileira de Sinais e Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEESP, 2014.

CAPELLINI, M. T.; SANTOS, L. F. dos. As interações comunicativas entre famílias ouvintes e sujeitos surdos: possibilidades de ressignificações. Revista Educação Especial, v. 33, Santa Maria-RS, 2020, p. 1-23. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/ view/48563/html. Acesso em: 2 fev. 2021.

FERNANDES, S.; MOREIRA, L. C. Políticas de educação bilíngue para surdos: o contexto brasileiro. Educar em Revista, Curitiba, Edição Especial n. 2, 2014, p. 51-69. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/nspe2/05.pdf. Acesso em: 12 jan. 2020.

KRUG, Marcelo Jacó. Identidade e comportamento linguístico na percepção da comunidade plurilíngue alemão-italiano-português de Imigrante – RS. 2004. Dissertação (Mestrado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004. GÓES, M. C. R. de;

BARBETI, R. S. As interações da criança surda no espaço do recreio e sua formação bilíngue. In: LACERDA, Cristina; LODI, Ana. (Orgs). Uma escola, duas línguas: letramento em língua portuguesa e língua de sinais nas etapas iniciais de escolarização. 4. Ed. Porto Alegre: Mediação, 2014.

GÓES, M. C. R. Linguagem, surdez e educação. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 1999.

HOFF, E. Desenvolvimento da linguagem nos primeiros anos de vida: mecanismos de aprendizagem e resultados do nascimento aos cinco anos de idade. Em: Tremblay, R.E., Boivin, M., Peters, R.D.V., Rvachew S., eds. Enciclopédia sobre o Desenvolvimento na Primeira Infância [on-line], 2009. Disponível em: http://www.enciclopediacrianca.com/desenvolvimento-da-linguagem-e-alfabetizacao/segundoespecialistas/desenvolvimento-da-linguagem-nos. Acesso em: 4 mar. 2021.

LABOV, W. The social stratification of English in New York city. Washington, D.C., Center for Applied Linguistics, 1966.

LABOV, W. Padrões sociolinguísticos. Tradução Marcos Bagno, Maria Marta Pereira Scherre, Caroline Rodrigues Cardoso. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

LACERDA, C. B. F. de; SANTOS, L. F. dos. Tenho um aluno surdo, e agora?: introdução à Libras e educação de surdos. São Carlos: EduFSCar, 2018.

LACERDA, C. B. F. de; NASCIMENTO, L. C. R. Aquisição de Linguagem: Refletindo sobre a Criança Surda e a Língua de Sinais. In: LAMÔNICA, D. A. C; BRITTO, D. B. O. Tratado de linguagem: perspectivas contemporâneas. Ribeirão Preto: Booktoy, 2017, p. 5-10.

LODI, A. C. B; LUCIANO, R. T. Desenvolvimento da linguagem de crianças surdas em língua brasileira de sinais. In: LODI, A. C. B; LACERDA, C. B. F. (Orgs.) Uma escola, duas línguas: letramento em língua portuguesa e língua de sinais nas etapas iniciais de escolarização. Porto Alegre: Editora Mediação, 2014, p. 33-50.

LUCAS, C. The sociolinguistics of Sign Languages. Cambridge United Press: Cambridge, 2004.

LUCAS, C.; BAYLEY, R.; VALLI, C. ROSE, M.; WULF, A. Sociolinguistic variation. In: LUCAS, C. The sociolinguistics of Sign Languages. Cambridge United Press: Cambridge, 2004, p. 61-112.

LUCCHESI, D. Língua e sociedade partidas: a polarização sociolinguística do Brasil. São Paulo: Contexto, 2015.

LUCCHESI, D. Africanos, crioulo e a língua portuguesa. 2008. Disponível em: http://www.coresmarcasefalas.pro.br/adm/anexos/10122008232732.pdf Acesso em 25 de julho de 2018.

MAHER, T. A criança indígena: do falar materno ao falar emprestado. IN: FARIA, A.L.G. e MEGALE, A. H. Bilinguismo e educação bilíngue – discutindo conceitos. Revista Virtual de Estudos da Linguagem – ReVEL. V. 3, n. 5, agosto de 2005. Disponível em: www.revel.inf.br.. Acesso em 22 ago. 2019.

PETTER, M. Introdução à Linguística Africana. São Paulo: Contexto, 2015. QUADROS, R. M. de. Libras. São Paulo: Parábola, 2019.

QUADROS, R. M. DE. Documentação da língua brasileira de sinais. GARCIA, M. V. C. (orgs.) Anais do Seminário Ibero-americano de Diversidade Linguística. Brasília, DF: Iphan, 2016, p. 157-174.

RODRIGUES, Isabel Cristina; BAALBAKI, Angela Corrêa Ferreira. Práticas sociais entre línguas em contato: os empréstimos linguísticos do português à Libras. Rev. bras. linguist. apl., Belo Horizonte, v. 14, n. 4, p. 1095-1120, Dec. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_arttext&pid=S1984-63982014000400014&lng=en&nrm=- iso. Acesso em 19 mar. 2020.

SOUSA, A. N. Educação plurilíngue para surdos: uma investigação do desenvolvimento da escrita em português (segunda língua) e inglês (terceira língua). Florianópolis, 2015. Tese (Doutorado em Linguística). Universidade Federal de Santa Catarina.

SOUZA, J. C. Dicionários bilíngues português-Libras no ensino para surdos: usos e funções. São Carlos, 2020. Dissertação (Mestrado em Linguística). Programa de Pós-Graduação em Linguística. Universidade Federal de São Carlos.

TOSTES, S. R. A. Atuação de psicólogo bilíngue no atendimento terapêutico à pessoa surda. São Carlos, 2018. Dissertação (Mestrado em Educação Especial). Universidade Federal de São Carlos.

WEINREICH, U. Languages in contact: French, German and Romansh in twentieth-century Switzerland. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing Company, 2011. Disponível em: https://books. google.com.br/books?id=FbFxAAAAQBAJ&printsec=frontcover&hl=pt-BR&source=gbs_ge_summary_r&cad=0#v=onepage&q&f=false. Acesso em: 20 jan. 2020.

WOLL, B.; SUTTON-SPENCE, R.; ELTON, F. Multilingualism: the global approach to sign languages. In: LUCAS, Ceil. The sociolinguistics of Sign Languages. Cambridge United Press: Cambridge, 2004. p. 8-33.

Downloads

Publicado

2021-12-08

Como Citar

RUBIO, C. F.; SOUZA, J. C. Perfil sociolinguístico dos surdos de São Carlos: o bilinguismo bimodal Libras/ língua portuguesa. Signótica, Goiânia, v. 33, 2021. DOI: 10.5216/sig.v33.68412. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/68412. Acesso em: 7 jul. 2022.

Edição

Seção

Estudos Linguísticos