Aquisição da escrita pelas crianças Apyãwa

Autores

  • Eunice Dias de Paula Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), Barra do Bugres, Mato Grosso, Brasil. E-mail: xeretyma@uol.com.br https://orcid.org/0000-0003-1782-5570

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v33.68025

Palavras-chave:

Povo Apyãwa, Oralidade, Grafismos, Aquisição da Escrita

Resumo

Neste artigo, abordamos o processo de aquisição da escrita alfabética pelas crianças Apyãwa. Os povos indígenas são detentores de tradições orais, que garantem o acesso a saberes milenares. Muitos povos também apresentam um repertório extenso de motivos gráficos que, aplicados em pinturas corporais ou em artefatos diversos, refletem suas cosmologias e, assim, podem ser considerados como uma escrita ideográfica. Em pesquisas efetuadas com as crianças Apyãwa, chegamos a uma hipótese singular: a arte gráfica se entrelaça com as primeiras experiências de escrita, revelando que o lócus sociocultural marca o processo de aquisição de um objeto cultural originado em outras sociedades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABAURRE, Maria Bernadete Marques, FIAD, Raquel Salek e MAYRINK-SABINSON, Maria Laura. Cenas de Aquisição da Escrita – o sujeito e o trabalho com o texto. Campinas, SP, Associação de Leitura do Brasil (ALB) – Mercado das Letras, 1997.

ABAURRE, M. B. M. e SILVA, A. O Desenvolvimento de Critérios de Segmentação na Escrita. In: Temas de Psicologia (vol.: Desenvolvimento Cognitivo: linguagem e aprendizagem), nº 1. São Paulo. Sociedade Brasileira de Psicologia, 1993.

ABAURRE, M. B. M. Os estudos lingüísticos e a aquisição da escrita. In: Anais do II Encontro Nacional sobre Aquisição da Linguagem. PUCRS: CEAAL (Centro de Estudos sobre Aquisição e Aprendizagem da Linguagem), 1992.

ARGÜELLO, Carlo Alfredo. Etnoconhecimento na escola indígena, In: Cadernos de Educação Escolar Indígena - 3º grau indígena. Barra do Bugres: Unemat, v. 1, n. 1, 2002.

BAKHTIN, Mikhail (VOLOCHINOV). Marxismo e Filosofia da Linguagem. São Paulo, Editora Hucitec, 1992.

BATTESTINI, S. Écritures africaines, inventaire et problématique. In: CAPACH, N. (Org.). Pour une théorie de la langue écrite. Paris: Editions de CNRS, 1988.

BRAGGIO, Silvia Lucia Bigonjal. Sociedades indígenas: a escrita alfabética e o grafismo. In: Braggio, S. L. B. (Org.). Contribuições da Linguística para o ensino de línguas. Goiânia: Editora UFG, 1999.

BRAGGIO, Silvia Lucia Bigonjal. A instauração da escrita entre os Xerente: conflitos e resistências. Revista do Museu Antropológico, UFG, v. 1. n. ¾. 2000c.

BRAGGIO, S. L. B. Revisitando a fonética/fonologia da língua Xerente Akwén: uma visão comparativa dos dados de Martius (1886) a Maybury-Lewis (1965) com os de Braggio (2004). In: Revista Signótica, Goiânia, v. 17, n. 2, p. 251-273, 2005b.

GINSBURG, Carlo. Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In: Mitos, Emblemas e Sinais: Morfologia e História. São Paulo, Companhia das Letras, 1991.

GNERRE, Maurizio. Linguagem, escrita e poder. São Paulo, Martins Fontes, 1998.

AUTORA. Os Tapirapé e a escrita: indícios de uma relação singular. Dissertação de Mestrado apresentada à UFG - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO, 2001.

LEITE, Yonne. Para uma tipologia ativa do Tapirapé: os clíticos referenciais de pessoas. Cadernos de Estudos Linguísticos, nº 18. Campinas, 1990.

MELIÀ, Bartomeu. Educação Indígena e Alfabetização. São Paulo, Loyola, 1979.

RODRIGUES, Aryon Dall’Igna. Línguas Brasileiras – para o conhecimento das línguas indígenas. São Paulo, Edições Loyola, 1986.

TAPIRAPÉ, Alberto Orokomy’i. Apyãwa xemoonãwa - pinturas corporais tradicionais do povo Tapirapé. Monografia de Conclusão do curso de licenciatura em Ciências da Natureza e Matemática apresentada à UNEMAT, Campus de Barra do Bugres, MT, 2006.

TAPIRAPÉ, Arapa’i. A origem de Awara’i. Monografia de conclusão do Ensino Médio, Projeto Aranowa’yao II, Escola Indígena Estadual Tapi’itãwa, 2009.

VIDAL, Lux. Iconografia e Grafismos Indígenas, uma introdução. In: VIDAL, L. Grafismo Indígena: estudos de antropologia estética. São Paulo, Studio Nobel/FAPESP/EDUSP, 1992.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. A Formação Social da Mente. São Paulo, Martins Fontes, 1996.

Downloads

Publicado

2021-12-08

Como Citar

PAULA, E. D. de . Aquisição da escrita pelas crianças Apyãwa. Signótica, Goiânia, v. 33, 2021. DOI: 10.5216/sig.v33.68025. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/68025. Acesso em: 7 jul. 2022.

Edição

Seção

Dossiê de Estudos Linguísticos