A imprensa internacional e a crítica folhetinesca aos espetáculos: um entrecruzamento de leituras da série “Semana Lírica” (1846-1847), de Martins Pena

Autores

  • Priscila Renata Gimenez Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil. E-mail: priscilagimenez@ufg.br https://orcid.org/0000-0001-6727-8224

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v33.65790

Palavras-chave:

Martins Pena. “Semana Lírica”. Folhetim. Crítica teatral.

Resumo

O folhetim sobre o teatro lírico foi uma seção de muito sucesso nos periódicos desde a primeira metade do século XIX. No Brasil, entre 1846 e 1847, Martins Pena produziu a série “Semana Lírica”, no rodapé do Jornal do Commercio. Vilma Arêas (1987), estudiosa da obra do comediógrafo, inaugura o estudo específico desses folhetins, explanando desde seu conteúdo ao estilo do folhetinista. Pretende-se, neste estudo, levantar os principais pontos abordados por Arêas, aprofundando e complementando a análise da elaboração crítica de Pena, observando seus procedimentos e métodos à luz das práticas folhetinescas da imprensa transnacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARÊAS, V. S. Na tapera de Santa Cruz: uma leitura de Martins Pena. 1. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1987. ARÊAS, V. S. Os folhetins de Martins Pena. Boletim bibliográfico Biblioteca Mário de Andrade. São Paulo, v. 46, n. 1/4, p. 57-71, jan./ dez. 1985.

BARA, O. Les spectacles. In: KALIFA, D. et al. (org.). La civilisation du journal: histoire culturelle et littéraire de la presse française au XIXe siècle. Paris: Nouveau Monde, 2011a. p. 1059-1075.

BARA, O. Julien Louis Geoffroy (1743-1814). In: KALIFA, D. et al. (org.). La civilisation du journal: histoire culturelle et littéraire de la presse française au XIXe siècle. Paris: Nouveau Monde, 2011b. p. 1097-1100.

BARA, O. ; YON, J. C. Le thèâtre et la scène. In: KALIFA, D. et al. (org.). La civilisation du journal: histoire culturelle et littéraire de la presse française au XIXe siècle. Paris: Nouveau Monde, 2011. p. 1553-1567.

CANDIDO, A. Formação da literatura brasileira. 11 ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2007.

GIMENEZ, P. R.. A crônica folhetinesca de Martins Pena: uma prática de leitura desde o século XIX. Revista ANPOLL. n. 25, p. 387-400, jul./dez. 2008.

GIMENEZ, P. R. Hector Berlioz, folhetinista do Journal des débats: uma concepção de arte no rodapé do jornal. Lettres Françaises. n. 16 (2), 2015, p. 301-318. Disponível em: https://periodicos.fclar. unesp.br/lettres/article/view/8448. Acesso em: 11 set. 2020.

GIMENEZ, P. R. Crítica e sociabilidade: a rubrica teatral do L’Écho de l’Amérique du Sud (1827-1828). Revista História (UNESP). n. 38, p. 1-22 , 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/his/v38/1980- 4369-his-38-e2019031.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

GIRON, L. A. Minoridade crítica: a ópera e o teatro nos folhetins da corte 1826-1861. São Paulo: EDUSP; Rio de Janeiro: Ediouro, 2004.

ISER, W. O ato da leitura. Uma teoria do efeito estético. São Paulo: Ed. 34, 1996. v.1 e 2. J

ATOBA, T. Martins Pena: construção e prospecção. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro; INL, 1978.

MAGALHÃES JR. R. Martins Pena e sua época. 2. ed. São Paulo: LISA; Rio de Janeiro: INL, 1972.

MARTINS PENA, L. C. “Semana Lírica”. Jornal do Commercio. set./ 1846-out./1847. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/ DocReader.aspx?bib=364568_03&pagfis=1. Acesso em: 10 jul. 2020

MARTINS PENA, L. C. Folhetins. A Semana Lírica. Rio de Janeiro: INL, 1965.

MEYER, M. Folhetim: uma história. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

REIBEL, E. L’écriture de la critique musicale au temps de Berlioz. Paris: Honoré Champion, 2005.

ROMERO, S.; RIBEIRO, J. Compêndio de história da literatura brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1909. p. 252-257.

Downloads

Publicado

2021-12-08

Como Citar

GIMENEZ, P. R. A imprensa internacional e a crítica folhetinesca aos espetáculos: um entrecruzamento de leituras da série “Semana Lírica” (1846-1847), de Martins Pena. Signótica, Goiânia, v. 33, 2021. DOI: 10.5216/sig.v33.65790. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/65790. Acesso em: 7 jul. 2022.

Edição

Seção

Estudos Literários