O Bildungsroman feminino em As três Marias de Rachel de Queiroz

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v32.65351

Palavras-chave:

Bildungsroman feminino, As três Marias, Rachel de Queiroz

Resumo

As três Marias, de Rachel de Queiroz, relata o encontro e experiências de três jovens mulheres após ingressarem em um colégio interno, bem como os distintos caminhos percorridos por cada uma na fase
adulta de suas vidas. Este artigo tem como objetivo apresentar uma análise desse romance considerando suas características, as quais refletem o Bildungsroman feminino. Para além disso, o texto aponta algumas distinções entre o Bildungsroman tradicional e sua variante feminina. A discussão apresentada dialoga com ponderações de Mikhail Bakhtin (2011), Franco Moretti (2020), Elaine Hoffman Baruch (1981), Camila Brändström (2009), dentre outras que aludem à temática em questão

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AUSTEN, Jane. Mansfield Park. Trad. Hildegard Feist. São Paulo: Editora Penguin, Companhia das Letras, 2014.

_____. Emma. New York: Norton, 1993.

BALZAC, Honoré de. La feme de trente ans. França: Createspace Independent Publishing Platform, 2016.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. de Paulo Bezerra. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

BARUCH, Elaine H. The feminine Bildungsroman: Education through Marriage. In: The Massachusetts Review, v. 22, n. 2, 1981, p. 335–357. JSTOR. Disponível em https: www.jstor.org/stable/25089147. Acesso em: 5 ago. 2020.

BUCKLEY, Jerome H. Season of youth: the Bildungsroman from Dickens to Golding. Cambridge: Harvard University Press, 1974.

BRÄNDSTRÖM, Camilla. Gender and genre: A feminist exploration of the Bildungsroman: a portrait of the artist as a young man and Martha Quest. Universidade Högskolan I Gävle, Department of Humanities and Social Sciences, 2009. Disponível em: https://www.diva-portal.org/smash/get/diva2:303315/fulltext01.pdf. Acesso em: 2 jul. 2020.

BRONTË, Emily. Wuthering Heights. Oxford: Oxford University Press, 1998.

BRONTË, Charlotte. Jane Eyre. New York: Signature Editions, 2012.

CAMINHA, Edmílson. Rachel de Queiroz: a senhora do não me deixes. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2010.

DICKENS, Charles. David Copperfield. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

GOETHE, Johann W. V. Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister. Trad. de Nicolino Simone Neto. São Paulo: Editora 34, 2009.

JOYCE, James. Ulysses. Trad. de Caetano W. Galindo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

MASS, Wilma P. O cânone mínimo: o Bildungsroman na história da literatura. São Paulo: UNESP, 2000.

LUKÁCS, Georg. Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister como tentativa de uma síntese, In: _____. A teoria do romance. Trad. de José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2009, p. 138-150.

MAUPASSANT, Guy de. Bel-Ami. Trad. de Leila de Aguiar Costa. São Paulo: Editora Estação Liberdade, 2010.

MORETTI, Franco. Romance de formação. Trad. de Natasha B. Palmeira. São Paulo: Todavia, 2020.

LAWRENCE, David H. Lady Chatterley’s lover. New York: Bantman Dell, 2007.

PINTO, Cristina F. O Bildungsroman feminino: quatro exemplos brasileiros. São Paulo: Perspectiva, 1990.

QUEIROZ, Rachel. O brasileiro perplexo. Rio de Janeiro: Do autor, 1956.

_____. A beata Maria do Egito. Rio de Janeiro: José Olympio, 1958.

_____. 100 crônicas escolhidas. Rio de Janeiro: José Olympio, 1976.

_____. Lampião. Rio de Janeiro: José Olympio, 1979.

_____. O jogador de sinuca e mais historinhas. Rio de Janeiro: José Olympio, 1980.

_____. As menininhas e outras crônicas. In: _____. Obra reunida. Rio de Janeiro: José Olympio, 1989.

_____. Memorial de Maria Moura. São Paulo: Siciliano, 1992.

_____. A donzela e a moura torta. São Paulo: Siciliano, 1994.

_____. Caminho de pedras. São Paulo: Siciliano, 1995.

_____. Teatro. Rio de Janeiro: José Olympio, 1995.

_____. O quinze. São Paulo: Siciliano, 1997.

_____. Falso mar, falso mundo. São Paulo: Arx, 2002.

_____. O menino mágico. São Paulo: Caramelo Didático, 2004.

_____. Cafute e pena-de-prata. Rio de Janeiro: José Olympio, 2012.

_____. O quinze. Rio de Janeiro: José Olympio, 2016.

_____. As três Marias. Rio de Janeiro: José Olympio, 2017.

STENDHAL. O vermelho e o negro. Trad. Raquel Prado. Porto Alegre: Dublinense, 2016.

XENOFONTE. Ciropédia - A educação de Ciro. Trad. de João Félix Pereira. Portugal: Sementes de Mudança, 2008.

Downloads

Publicado

2021-03-16

Como Citar

COSTA, A. M. da. O Bildungsroman feminino em As três Marias de Rachel de Queiroz. Signótica, Goiânia, v. 32, 2021. DOI: 10.5216/sig.v32.65351. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/65351. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Dossiê de Estudos Literários