Pureza e natureza na “Cantate du Narcisse”, de Paul Valéry

Autores

  • Rodrigo de Oliveira Lemos Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, rodrigostyx@yahoo.com.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v30i3.48713

Palavras-chave:

Paul Valéry. Narciso. Poesia

Resumo

Neste trabalho, abordaremos a “Cantate du Narcisse”, de Paul Valéry (1871-1945), a partir de um estudo de seu protagonista, Narciso. Em primeiro lugar, deter-nos-emos sobre a tessitura sonora do verso e seu cuidado com o equilíbrio composicional. Voltar-nos-emos, então, à relação do protagonista com as ninfas e à sua oposição aos deuses que o condenam por seu amor desmesurado. Mostraremos, então, como a figura de Narciso da “Cantate” manifesta um dos temas caros a Valéry (a busca pela pureza em oposição à natureza), preocupação que surge em outros momentos de sua obra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo de Oliveira Lemos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, rodrigostyx@yahoo.com.br

Downloads

Publicado

2018-08-31

Como Citar

DE OLIVEIRA LEMOS, R. Pureza e natureza na “Cantate du Narcisse”, de Paul Valéry. Signótica, Goiânia, v. 30, n. 3, p. 381–403, 2018. DOI: 10.5216/sig.v30i3.48713. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/48713. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigo