“As vozes daquele tempo”: imaginário da infância e do patriarcalismo na poesia de Manuel Bandeira (1924-1930).

Autores

  • Felipe Alves Paulo Cavalcanti Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), Fortaleza, Ceará, Brasil, felipe.alves.paulo@gmail.com
  • Durval Muniz de Albuquerque Junior Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, Rio Grande do Norte, Brasil, durvalal@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v30i1.48514

Palavras-chave:

Manuel Bandeira. Gilberto Freyre. Infância. Patriarcalismo. Poesia.

Resumo

Neste artigo, investigamos a construção de um imaginário da infância na poesia de Manuel Bandeira por meio da análise do poema “Evocação do Recife”, escrito em torno de 1925, e de sua presença em outros poemas posteriores do autor como “Profundamente” e “Vou-me embora pra Pasárgada”, ambos compilados na obra Libertinagem, de 1930. Em nossa abordagem, destacamos a ligação indissolúvel entre este “mundo da infância” criado pela poesia de Bandeira e o imaginário do patriarcalismo freyreano, ou seja, o “mundo dos avós” que Gilberto Freyre tentava recuperar em seus escritos para o Diário de Pernambuco durante os anos 1920.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Alves Paulo Cavalcanti, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), Fortaleza, Ceará, Brasil, felipe.alves.paulo@gmail.com

Durval Muniz de Albuquerque Junior, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, Rio Grande do Norte, Brasil, durvalal@gmail.com

Downloads

Publicado

2018-01-30

Como Citar

ALVES PAULO CAVALCANTI, F. .; MUNIZ DE ALBUQUERQUE JUNIOR, D. . “As vozes daquele tempo”: imaginário da infância e do patriarcalismo na poesia de Manuel Bandeira (1924-1930). Signótica, Goiânia, v. 30, n. 1, p. 52–74, 2018. DOI: 10.5216/sig.v30i1.48514. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/48514. Acesso em: 4 mar. 2024.

Edição

Seção

Seção Temática