Dilemas do linguista descritivo quando confrontado com o desafio de planejamento língua

Autores

  • Kanavillil Rajagopalan Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v27i2.35560

Palavras-chave:

política linguística, planejamento linguístico, descrição X prescrição, linguista X leigo, políticas linguísticas.

Resumo

Argumenta-se  neste  artigo  que  o  linguista  fica  perdido  quando  se  trata  de enfrentar  os  desafios  colocados  pela  política  linguística  e  planejamento linguístico e, além disso, que isso tem a ver com a sua relutância em reconhecer o papel da prescrição na fase de gestão da vida social das línguas. Sua adesão firme ao princípio da descrição rigorosa dos fatos e na melhor das hipóteses uma tentativa de explicá-las tem limitado a sua capacidade de intervir no destino de uma língua que é o que a política linguística é tudo. Também defende que exista um diálogo frutífero entre o linguista e o leigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kanavillil Rajagopalan, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP

Professor  at  the  Universidade  Estadual  de  Campinas  (Unicamp),  Campinas,  SP,  Brazil. CNPq Productivity Research Fellow, PQ -1A. Email: klrajagopalan@yahoo.com.

Downloads

Publicado

2015-12-22

Como Citar

RAJAGOPALAN, K. Dilemas do linguista descritivo quando confrontado com o desafio de planejamento língua. Signótica, Goiânia, v. 27, n. 2, p. 605–624, 2015. DOI: 10.5216/sig.v27i2.35560. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/35560. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigo