Os predicados existenciais do Guajá

Autores

  • Marina Maria Silva Magalhães Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v26i2.30399

Palavras-chave:

Guajá, Tupí-Guaraní, predicados existenciais.

Resumo

Neste  artigo  pretende-se  apresentar  evidências  da  não  existência  de  sujeito nas orações existenciais da língua Guajá (família Tupí-Guaraní) e defender a hipótese de que tal característica pode ser estendida às demais línguas da família. A interpretação sobre o status sintático da marcação de pessoa, nos predicados existenciais do Guajá, é a chave para fundamentar essa hipótese.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina Maria Silva Magalhães, Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF

Professora de Linguística do Departamento de Linguística, Português e Línguas Classicas da Universidade de Brasília.

Downloads

Publicado

2014-12-22

Como Citar

MAGALHÃES, M. M. S. Os predicados existenciais do Guajá. Signótica, Goiânia, v. 26, n. 2, p. 309–329, 2014. DOI: 10.5216/sig.v26i2.30399. Disponível em: https://revistas.ufg.br/sig/article/view/30399. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Seção Temática