Literatura surda: traduzindo histórias de vidas singulares

Autores

  • Márcia Rios da Silva Universidade do Estado da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil. E-mail: marciarios885@gmail.com https://orcid.org/0000-0002-7024-7434
  • Jéssica Gabriela da Silva Penha Universidade do Estado da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil. E-mail: professora.gabriela.penha@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/rs.v6.67002

Palavras-chave:

literatura surda, adaptação, recriação

Resumo

A literatura surda emergente vem se destacando pela adaptação de histórias “originais” em paralelo a uma escrita autoral crescente. Na reescrita dessas produções originais, os surdos ganham visibilidade como sujeitos ativos e participativos no espaço social e cultural (PERLIN). Sob essa formação de apropriação cultural, a literatura surda assume o compromisso com a tematização de situações e sentimentos enfrentados pelo indivíduo surdo (GAVA), trazendo à tona o desejo de reconhecimento e reafirmação de identidades. Considerando o público ao qual se destinam às referidas adaptações, o presente artigo tem por objetivo proceder a uma reflexão sobre esta prática tradutória em que questões temáticas e formais são passíveis de atualização e recriação. Nesta análise, busca-se apoio nas contribuições de Marinyse Oliveira, Lodenir Karnopp e Linda Hutcheon, que postulam que os processos de adaptação e tradução estão imbricados e resultam em um trabalho de criação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BASTIN, Georges. Adaptation (1998). In: BAKER, M; SALDANHA, G. (orgs.). Routledge encyclopedia of translation studies. 2. ed. London: Routledge, 2011, p. 3-6.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de Dezembro de 1970. 15. Ed. São Paulo: Loyola, 2007.

GAVA, Águida Aparecida. Breves considerações sobre a literatura surda. In: Acta Semiotica et Lingvistica. Vol. 20, n. 2, 2015. Disponível em https://periodicos.ufpb.br/index.php/actas/article/view/27945. Acesso em 30 abri 2019. P. 61-76.

HUTCHEON, Linda. Uma teoria da adaptação. Tradução André Cechinel. 2ª. ed. Florianópolis, UFSC, 2006.

KARNOPP, Lodenir. Literatura surda. Centro de Comunicação e Expressão. UFSC. Florianópolis. 2008. Disponível em https://www.libras.ufsc.br/colecaoLetrasLibras/eixoFormacaoEspecifica/literaturaVisual/assets/369/Literatura_Surda_Texto-Base.pdf. Acesso em 12 set 2020.

OLIVEIRA. Marinyze Prates de. Olhares roubados: cinema, literatura e nacionalidade. Salvador: Quarteto, 2004.

PERLIN, Gladis. O ser e o estar sendo surdos: alteridade, diferença e identidade. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal do Rio Grande do Sul: Porto Alegre, 2003.

SANTOS, Paulo Henrique dos. Min e as mãozinhas. 2018. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=zNCczm3jzgo. Acesso em 30 out 2020.

Downloads

Publicado

12-11-2021

Como Citar

Silva, M. R. da, & Penha , J. G. da S. (2021). Literatura surda: traduzindo histórias de vidas singulares. Revista Sinalizar, 6. https://doi.org/10.5216/rs.v6.67002

Edição

Seção

Artigos